A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

De olho nas eleições de 2020, Lupa inicia rodada para capacitar todos os TREs

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
30.ago.2019 | 14h30 |

De olho na eleição municipal de 2020, a Lupa iniciou neste mês uma turnê para treinar jornalistas e integrantes dos Tribunais Regionais Eleitorais em técnicas de checagem de fatos. Até o início da campanha eleitoral do ano que vem, todos os estados receberão oficinas do LupaEducação. O trabalho tem três objetivos: equipar os servidores com ferramentas que possam ajudá-los no dia a dia do processo eleitoral, formar novos checadores em âmbitos regionais e ampliar o alcance da agência.

As oficinas serão realizadas nas capitais dos 26 estados e também no Distrito Federal. A primeira aconteceu em Porto Velho (RO) no último dia 19. Outras duas ocorrerão na Região Norte do país em setembro. 

Após o treinamento presencial, os participantes das oficinas terão acesso a treinamentos online, em que poderão tirar dúvidas e aprimorar o aprendizado sobre ferramentas e técnicas de fact-checking. A iniciativa – única no país – conta com o apoio do WhatsApp.

“A Lupa entende que a melhor forma de combater a desinformação é por meio da educação e da colaboração, capacitando eleitores e profissionais para o melhor uso das redes sociais e das ferramentas de checagem disponíveis na internet”, explica Douglas Silveira, diretor de Marketing e Educação da Lupa. “Contamos com a colaboração de setores do poder público, da sociedade civil, das empresas e dos veículos de comunicação para unir esforços e evitar a propagação de notícias falsas.”

A oficina de Rondônia durou três horas e teve oito participantes. O grupo recebeu informações sobre a história do fact-checking e sua expansão pelo mundo. Teve acesso a ferramentas de checagem, mexeu em bancos de dados públicos com a ajuda do monitor da Lupa e fez exercícios de verificação.

“Foram palestras maravilhosas, que trouxeram um enriquecimento desse conhecimento tecnológico que nós estamos buscando, cada vez mais, aprimorar, já pensando nas eleições de 2020”, avalia a diretora-geral do TRE-RO, Lia Maria Araújo Lopes.

A formação oferecida pelo LupaEducação se estende a jornalistas interessados em fazer checagem de fatos durante a eleição de 2020. Os jornalistas participantes da oficina passam a integrar a rede de produtores de conteúdo da agência e poderão ser chamados a produzir checagens sobre as campanhas eleitorais municipais em 2020. 

“Na Lupa, já estamos bastante acostumados a acompanhar a campanha nos principais centros do país. Ampliar a cobertura é o desafio que nos propomos para o próximo ano”, diz Natália Leal, diretora de Conteúdo. “Nosso objetivo é ter um olhar hiperlocal, expandindo nossa área de atuação e entregando informação qualificada para novos públicos.”

As oficinas serão realizadas em conjunto com as atividades promovidas pelo programa Democracia Digital, do Instituto Tecnologia & Equidade (IT&E) e do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), com apoio do Instituto Betty & Jacob Lafer. A programação contará com um debate sobre desinformação e a exibição  do documentário “Democracia Digital”, uma produção da Elo Company que retrata o combate aos conteúdos falsos durante a eleição presidencial de 2018.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo