A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Lupa fará oficina de fact-checking no Festival 3i em outubro no Rio de Janeiro

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
10.set.2019 | 18h11 |

No Brasil e no mundo, a polarização política tem contribuído para uma avalanche de boatos e informações distorcidas. As “fake news” tomaram uma projeção avassaladora com a internet, compartilhadas em correntes de WhatsApp e nas redes sociais e usadas por políticos para atacar adversários, contribuindo para desacreditar o debate público e democrático. Se cada vez mais as notícias falsas ganham terreno, por outro lado um exército de checadores é necessário para combater a desinformação, principalmente para a tarefa de monitorar o conteúdo das declarações públicas de políticos que representam a sociedade brasileira e deveriam se comprometer com a verdade.

Hoje, a habilidade de fact-checking é tida como um diferencial nos principais meios de comunicação. Em grandes empresas, há vagas de trabalho para quem sabe combater a desinformação de forma técnica e ética. Isso sem falar dos políticos, que dificilmente enfrentarão novas eleições sem um fact-checker ao lado. Esteja, portanto, preparado para essas oportunidades que a checagem de dados oferece.

Pensando nisso, a Agência Lupa ministrará, durante o Festival 3i, uma oficina onde você vai mergulhar na metodologia de trabalho da agência, a primeira do Brasil a se dedicar especificamente à checagem. E vai aprender o que é e o que não é checável. Ainda acompanhará os bastidores de alguns dos trabalhos de maior repercussão da Lupa e verá, por meio de exercícios práticos, que qualquer um pode (e deve) ser um checador. Não importa idade ou formação acadêmica.

Principais conteúdos da oficina de checagem

– Origem, desdobramentos e princípios éticos do fact-checking;
– Metodologia de checagem;
– Estratégias de publicação;
– Ferramentas para identificar notícias e imagens falsas;
– Consulta em bancos de dados públicos.

A oficina de checagem da Lupa no Festival 3i ocorrerá na sexta-feira, dia 18 de outubro, de 10h às 13h. 

Os ingressos já estão à venda! A entrada inteira custa R$ 270, meia-entrada R$ 135. Os ingressos que incluem participação em workshop são R$ 320 e R$185 a meia-entrada. Acompanhe as redes do Festival 3i para ficar por dentro das novidades.

Sexta-feira, 18/10 (Workshops)

10h – 13h – Princípios do Fact-checking
com Natália Leal, diretora de conteúdo da Agência Lupa

Workshop voltado para conhecer as técnicas e ferramentas básicas do fact-checking.

10h – 13h – Aprendendo a fazer pedidos pela Lei de Acesso à Informação
com Marina Atoji, gerente-executiva da Associação Brasileira de de Jornalismo Investigativo (Abraji)

Workshop voltado para introduzir os alunos aos conceitos e primeiros passos para obter informações de órgãos públicos via LAI.

10h – 13 – Como cobrir protestos
com Daniel Arroyo da Ponte Jornalismo

Workshop voltado para a cobertura de protestos de rua, incluindo dicas de segurança e proteção.

10h – 13h – Como escrever um projeto
com Nina Weingrill, da Énois

Diretora da organização que tem mais de 10 anos vai explicar o passo-a-passo para um bom projeto jornalístico pontual conseguir financiamento.

14h – 17h – Como fazer um Podcast de sucesso
com José Orenstein, do Nexo

O editor executivo do Nexo vai falar de um dos podcasts mais influentes atualmente, o Durma Com Essa, e contar o que é necessário para fazer um podcast de sucesso.

14h – 17h – Segurança Digital para jornalistas
com Lucas Teixeira, da Escola de Dados

Como guardar e transportar conteúdos sensíveis e se comunicar com segurança para jornalistas que lidam com investigações.

14h – 17h – Como fazer vídeos para online
com Ana Aranha, da Repórter Brasil

Diretora do documentário Jaci, vencedor do prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo em 2016, vai explicar como fazer um bom vídeo online para viralizar nas redes.

14h – 17h – Iniciação à reportagem investigativa
com Elvira Lobato e Natalia Viana, da Agência Pública

A premiada jornalista Elvira Lobato vai revisar algumas das suas reportagens mais relevantes mostrando como foi feito o passo a passo da investigação.

14h – 17h – Leitura Crítica de Mídia e Conteúdos Online
com Laércio Portela, editor da Marco Zero

Numa época em que sobra desinformação, esse workshop vai ensinar os princípios para uma leitura inteligente e crítica da imprensa e de sites

19h – Abertura do Festival 3i 2019


Sábado, 19/10 (Mesas)

10h-11h30 – Quem está vencendo a desinformação
Apresentada por Agência Lupa e Nova Escola

Como diferentes iniciativas de educação midiática conseguem produzir contra-informação verdadeira e combater a onda de notícias falsas. A boa nova: podemos vencer

Mediador: Gilberto Scofield, Agência Lupa

Tania Montalvo, Animal Político (Peru)

Adriana Barsotti, professora da pós e da graduação da ESPM-Rio com pós-doc em news literacy

“Hache” Ariel Merpet, Chequeado (Argentina)

13h-14h30 – A urgência da colaboração jornalística
Apresentada por #Colabora e Agência Pública

As dificuldades, experiências e oportunidades no trabalho jornalístico conjunto

Mediador: Agostinho Vieira, Projeto #Colabora

Maria Teresa Ronderos, Centro Latinoamericano de Investigación Periodística (CLIP)

Katia Brasil, Amazônia Real

José Roberto de Toledo, revista piauí, membro do ICIJ

15h-16h30 – Quando o repórter vira alvo
Apresentada por O Eco e Congresso em Foco

Riscos físicos, legais e online ao jornalismo investigativo

Mediadora: Samantha do Carmo, Congresso em Foco

Fabiano Maisonnave, Folha de S. Paulo

Nelly Luna Amancio, Ojo Público (Peru)

Chico Otávio, O Globo

17h-18h30 – O trabalho do jornalista: vazamentos, prospecção de dados e tecnologia
Apresentada por Agência Pública e Repórter Brasil

Boas práticas do jornalismo investigativo dos novos tempos e como o jornalista pode tirar delas histórias de impacto

Mediadora: Natalia Viana, Agência Pública

André Campos, Repórter Brasil

Glenn Greenwald, The Intercept

Giannina Segnini, Columbia University Data Journalism/Investigative Journalism


Domingo, 20/10 (Mesas)

10h-11h30 – Chegando até a audiência
Apresentada por Nexo

Projetos que inovaram na maneira de alcançar novos públicos

Mediadora: Paula Miraglia, Nexo

Millie Tran, New York Times

Christiano Nygaard, Infoglobo, Valor Econômico e Editora Globo (a confirmar)

Jaqueline Amaral, Artplan (a confirmar)

13h-14h30 – A receita dos novos modelos no jornalismo
Apresentada por Poder 360

Como veículos jornalísticos com modelos de negócios inovadores estão encontrando novas fontes de receita e que portas a tecnologia pode abrir nesse processo.

Mediador: Mateus Netzel, Poder360

Esther Alonso, El Diario.es (Espanha)

Tiago Barra, Cappra Institute for data Sciences

Rogério Galindo, Plural.jor

15h-16h30 – Quem tem voz nas redações?
Apresentada por Marco Zero Conteúdo e Ponte Jornalismo

Como as organizações digitais trabalham internamente com suas equipes e quais os desafios para ampliar a diversidade nas redações

Mediadora: Carolina Monteiro, Marco Zero Conteúdo

Coletivo La Garganta Poderosa (Argentina)

Andre Santana, Mídia Étnica, Portal Correio Nagô

Paula Cesarino Costa, editora de Diversidade da Folha de S. Paulo

17h-18h30 – Como cobrir a cidade fora das redações tradicionais
Apresentada por Ponte e Énois

Os desafios de tornar o jornalismo mais democrático e acessível – e por que essa transformação deve ser uma prioridade hoje

Mediadora: Maria Teresa Cruz, da Ponte Jornalismo

Darryl Hollyday, City Bureau (Chicago)

Raull Santiago, Coletivo Papo Reto

Elvira Lobato, publicou reportagens sobre desertos de notícias dentro dos territórios de Minas Gerais e Alagoas

Editado por: Gilberto Scofield Jr.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo