A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Dale Ballen / Pexels
Foto: Dale Ballen / Pexels

#Verificamos: É falso que folha de graviola substitui quimioterapia no tratamento de câncer

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
13.set.2019 | 16h25 |

Circula nas redes sociais um texto que afirma que a folha de graviola é ‘mil vezes mais forte’ do que a quimioterapia e, portanto, mais eficaz no tratamento de câncer.  Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

 

“As folhas da graviola são 1000 vezes mais fortes pra matar células do câncer que a quimioterapia! Aprenda a usar”
Título de texto publicado no site Receitas Naturais, compartilhado por mais de 130 mil pessoas até as 15h20 do dia 13 de setembro de 2019

FALSO

Embora haja estudos sobre potenciais benefícios da graviola no tratamento de câncer, o conteúdo analisado pela Lupa é falso. Nenhuma pesquisa mostra que a folha da planta seja “mil vezes mais forte” que a quimioterapia, genericamente. 

Segundo o instituto de pesquisa britânico Cancer Research UK, há estudos laboratoriais que mostram que extrato de graviola pode matar alguns tipos de célula de câncer de mama e de fígado que não reagem à quimioterapia. Há testes com camundongos que mostram o efeito do extrato da polpa da fruta também no câncer de próstata. No entanto, nenhum destes estudos foi realizado com pacientes humanos e não há conclusões.

Em 2015, três pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Europeia do Chipre publicaram uma revisão sistemática sobre o efeito da graviola no tratamento do câncer. Eles concluíram que há, sim, potenciais benefícios no uso desta planta. Porém, pouco se sabe sobre as propriedades exatas e os mecanismos de ação.

O Ministério da Saúde classificou a informação como “fake news”, em texto publicado em 2018. “Essa mensagem é falsa! Não compartilhe! Não há evidências científicas de que o chá de folhas de graviola cure o câncer”, diz.

A Sociedade Brasileira de Oncologia (SBOC) alerta que a substituição de tratamentos sem comprovação de eficácia traz riscos ao paciente. “A SBOC reforça a importância de os pacientes seguirem os tratamentos convencionais, recomendados por médicos oncologistas clínicos, que possuem protocolos de pesquisa e controles sistemáticos de seus efeitos. Informações falsas disseminadas na internet, criam falsas esperanças a pacientes e prejudicam seus tratamentos”, diz nota enviada pela assessoria de comunicação da sociedade.

A origem desse boato é, provavelmente, um estudo de 1996 que mostra que a cis-anonacina, uma substância presente na semente da graviola teria, 10 mil vezes a potência da doxorrubicina, uma droga específica usada no tratamento de câncer de cólon. Essa conclusão foi alcançada a partir de estudos laboratoriais em células in vitro, ou seja, não houve testes em humanos.


“Receita de chá com folhas de graviola [para o tratamento do câncer]. Pique 10 folhas de graviola finamente e ferva em 3 xícaras de água. Retire do fogo quando 2/3 da água evaporar e restar apenas 1/3. Deixe o chá esfriar e beba como de costume”
Texto publicado no site Receitas Naturais, compartilhado por mais de 130 mil pessoas até as 15h20 do dia 13 de setembro de 2019

EXAGERADO

Existe evidência anedótica sobre esse tipo de tratamento, mas não como um substituto à medicação tradicional, e sim como um complemento. 

Um estudo de caso publicado em 2014 por pesquisadores da Universidade de Miami mostra que uma paciente teve estabilização da metástase oriunda de um câncer de mama por cinco anos combinando doses de chá de folha de graviola com o medicamento Xeloda, usado no tratamento de câncer de mama e do aparelho gastrointestinal.

O estudo afirma que o tratamento com Xeloda costuma estabilizar o câncer apenas por alguns meses e, por isso, é bastante provável que a graviola tenha ajudado. Mas deixa claro: “É necessário mais pesquisas clínicas para determinar a eficácia, a dose efetiva, potenciais interações com outros remédios e a toxicidade deste extrato derivado de planta [graviola] para que [a substância] possa ser aprovada para o uso em pacientes com câncer”.


“Ele [o chá de folha de graviola] não traz quaisquer efeitos colaterais logo, você pode usá-las o tanto quanto você quiser”
Texto publicado no site Receitas Naturais, compartilhado por mais de 130 mil pessoas até as 15h20 do dia 13 de setembro de 2019

FALSO

O consumo excessivo de graviola tem, sim, efeitos colaterais. Segundo o Cancer Research UK, substâncias presentes na planta podem causar danos degenerativos similares aos observados na doença de Parkinson. A instituição, no entanto, frisa que é “improvável” que a fruta cause qualquer tipo de dano à saúde quando consumida como “parte de uma dieta normal”.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo