A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Rodrigo Janot disse que ministros do STF serão presos

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.out.2019 | 15h06 |

Circula pelas redes sociais uma montagem que atribui ao ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot uma frase com ameaças a todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com o post, ele teria dito que todos os 11 magistrados serão presos, um por um, começando com Gilmar Mendes. Em entrevistas publicadas na semana passada no Estadão e na Veja, Janot disse que foi armado ao STF com a intenção de matar Mendes e se suicidar em seguida, mas desistiu do ato. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Serão presos de um por um, me aguardem. E você Gilmar, será o primeiro!!!”

Frase atribuída ao ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em post do Facebook que, até as 11h de 1º de outubro de 2019, tinha mais de 2,9 mil compartilhamentos

FALSO

A informação, analisada pela Lupa, é falsa. Não há declaração pública de Janot, em entrevistas ou no seu perfil do Twitter, mencionando que os ministros do STF serão presos, “um por um”. Em nota enviada por e-mail, o advogado do ex-procurador-geral da República, Bruno Salles, também informou que ele não disse a frase que circula pelas redes sociais. “Entramos em contato com o cliente e confirmamos que ele jamais prestou essas declarações”, afirmou o criminalista, sócio da Cavalcanti, Sion e Salles Advogados. Salles defenderá Janot das medidas determinadas contra ele pelo STF, após as declarações reveladas na semana passada.

A pedido do ministro Alexandre de Moraes, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão de equipamentos eletrônicos e armas, entre outros itens, na casa e no escritório do ex-procurador. Ele também foi proibido de chegar a menos de 200 metros de qualquer ministro do STF e de entrar no tribunal. Além disso, Janot teve o porte de arma suspenso.


Na entrevista a Veja, Janot explicou que quis matar Gilmar Mendes por conta de “insinuações maldosas” que ele teria feito sobre sua filha. “Naquele dia, cheguei ao meu limite. Fui armado para o Supremo. Ia dar um tiro na cara dele e depois me suicidaria. Estava movido pela ira, disse. Embora tenha chegado a 2 metros do ministro e engatilhado a arma, seu dedo ficou paralisado no momento do disparo. “Acho que ele nem percebeu que esteve perto da morte. Depois disso, chamei meu secretário executivo, disse que não estava passando bem e fui embora”, contou.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo