A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que deputado José Guimarães foi preso com dólares na cueca

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
02.out.2019 | 16h23 |

Circula pelas redes sociais uma foto do deputado federal José Guimarães (PT-CE), vice-líder da Minoria – bancada que reúne os partidos de oposição ao governo – na Câmara dos Deputados. Uma legenda afirma que ele foi preso em flagrante, no passado, com US$ 200 mil na cueca e, mesmo assim foi eleito. Na última segunda-feira (30), o parlamentar foi filmado por um homem dentro de um avião, que também o acusava de ter sido detido com o dinheiro. O vídeo viralizou nas redes sociais. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Só no Brasil um meliante preso em flagrante com 200 mil dólares na cueca vira deputado”

Texto de post no Facebook que, até as 12h de 2 de outubro de 2019, tinha mais de 4,6 mil compartilhamentos

FALSO

A informação, analisada pela Lupa, é falsa. José Guimarães jamais foi detido com US$ 200 mil na cueca. Quem foi preso carregando dinheiro nas roupas íntimas foi um dos seus assessores, José Adalberto Vieira da Silva. Na época, Guimarães era deputado estadual pelo Ceará. Ele foi excluído do processo por decisão unânime da 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acolhendo um recurso que alegava não haver qualquer prova de que o parlamentar teve envolvimento no caso.

De acordo com os autos do processo, a Polícia Federal prendeu Vieira da Silva em flagrante no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em 8 de julho de 2005. Ele carregava US$ 100 mil na cueca e outros R$ 209 mil em uma maleta, sem comprovação de origem. O Ministério Público Federal afirmou que o dinheiro seria propina obtida pela facilitação de um contrato de financiamento de R$ 300 milhões entre a empresa Sistema de Transmissão Nordeste (STN) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB). Vieira e outros envolvidos negaram as acusações, mas acabaram condenados a pagar multas.

A história dos dólares na cueca ocorreu um mês depois da revelação, pelo ex-deputado federal Roberto Jefferson, do escândalo do Mensalão. A prisão do ex-assessor provocou a saída de José Genoino, que é irmão de Guimarães, da presidência do PT. O partido publicou uma nota na terça-feira (1º), após a divulgação do vídeo em que o parlamentar foi hostilizado, destacando que ele nunca esteve envolvido em esquemas de corrupção.

Essa checagem também foi feita pelo Aos Fatos.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo