A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Bolo turco que viralizou em vídeo não é vendido no Brasil e nem tem comprimidos no recheio

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.nov.2019 | 18h30 |

Circula pelas redes sociais um vídeo que mostra uma pessoa abrindo um pacote de bolo industrializado e mostrando que o alimento vem com dois comprimidos. Segundo a legenda que acompanha as imagens, esse produto chegou ao Brasil e tem pílulas que causam “paralisia”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Esse biscoito turco tem 2 comprimidos que causam paralisa (sic) já chegou ao Brasil não comprem e espalhem essa mensagem”
Imagem publicada no Facebook que, até as 18h de 21 de novembro de 2019, tinha mais de 400 compartilhamentos

FALSO

O vídeo analisado pela Lupa não foi feito no Brasil e o produto não é comercializado no país. Os bolos de coco mostrados nas imagens são vendidos apenas no Iraque pela empresa turca Şölen. Segundo o site turco de verificação de fatos Teyit, o idioma falado no final vídeo é sorani, dialeto da língua curda falado em regiões do Curdistão iraquiano. 

Também é falso que o biscoito tenha sido vendido com comprimidos. O site turco de verificação de fatos Teyit investigou o vídeo e concluiu que as pílulas foram inseridas após o bolo estar pronto. Segundo os checadores, caso elas fossem adicionadas antes do processo de cozimento, teriam derretido ou ficado deformadas. O site também mostra que a barra tinha furos, que podem ter sido utilizados para introduzir os comprimidos no bolo. 

A agência de checagem Snopes, por sua vez, recebeu documentos (aqui, aqui, aqui, aqui e aqui) da empresa Şölen comprovando a qualidade e segurança de seus produtos. A auditoria, realizada pela empresa suíça SGS, informa que, durante o processo de produção, é impossível inserir um objeto estranho do tamanho de um comprimido em um bolinho. Segundo o relatório, todos os ingredientes usados na produção do alimento passam por um filtro que bloqueia a passagem de qualquer substância sólida maior do que 0,7 milímetro de diâmetro. 

Esse vídeo circulou nos Estados Unidos, na Turquia e no México, tendo sido checado por plataformas de checagem desses locais: Snopes, Teyit e Diario de Mexico. No Brasil, os sites Aos Fatos, Boatos.org e e-Farsas também verificaram o conteúdo. 

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo