A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Imagens não mostram brigadistas de Alter do Chão comemorando venda de fotos para ONG

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.dez.2019 | 19h22 |

Circula pelas redes sociais um post com seis fotos que mostram integrantes da Brigada de Incêndio de Alter do Chão, no Pará, festejando ao lado de outras pessoas. Uma legenda acusa os brigadistas de serem “ongueiros incendiários” que estariam comemorando a venda de fotos de incêndios na região por R$ 70 mil, cada uma, para a WWF-Brasil, uma organização não-governamental (ONG) que atua em defesa do meio ambiente. O texto também acusa o grupo de ter recebido R$ 500 mil de uma doação do ator norte-americano Leonardo DiCaprio. 

No dia 26 de novembro, a Polícia Civil do Pará prendeu preventivamente quatro brigadistas – Daniel Gutierrez Govino, João Victor Pereira Romano, Gustavo de Almeida Fernandes e Marcelo Aron Cwerner –, alegando haver indícios de que eles seriam responsáveis por incêndios na Área de Proteção Ambiental de Alter do Chão. A operação controversa foi questionada pelo Ministério Público Federal, que investiga o caso desde setembro e disse não ter encontrado nenhuma prova da participação do grupo nos incidentes. O fogo teria sido colocado por grileiros, ou seja, por pessoas que invadem áreas públicas, desmatam e tentam se apropriar desses locais, fingindo ser seus donos.

O juiz Alexandre Rizzi, da 1ª Vara Criminal de Santarém, que havia determinado a prisão, voltou atrás e determinou a soltura do grupo três dias depois. O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), trocou o comando da investigação, que saiu da Polícia Civil de Santarém e foi para a Delegacia Especializada em Meio Ambiente do estado. Depois de serem soltos, os quatro brigadistas voltaram a dizer que são inocentes e informaram que vêm recebendo ameaças. Em um áudio enviado ao governador do estado, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar (DEM), acusa grileiros de causarem os incêndios.

A Brigada de Alter do Chão, da qual fazem parte Govino, Romano, Fernandes e Cwerner, é um grupo de voluntários criado em 2018 pelo Instituto Aquífero Alter do Chão para ajudar a combater incêndios nessa região, um dos principais pontos turísticos da Amazônia. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Festinha dos ONGUEIROS INCENDIÁRIOS comemorando a venda das fotografias para a WWF por R$70.000 cada e por terem recebido $500.000 do Léo Titanic. Fotos encontradas pela PF nos equipamentos dos eco terroristas incendiários da ONG Alter do Chão”

Texto de post no Facebook que, até as 11h de 3 de dezembro de 2019, tinha 912 compartilhamentos

FALSO

O texto traz uma série de informações falsas. Nenhuma das seis fotos exibidas no post é recente ou foi encontrada por policiais em equipamentos apreendidos. Logo, jamais ocorreu a festa comemorativa mencionada no post. A Lupa entrou em contato com a amiga de um dos brigadistas, que informou que as imagens foram todas extraídas do perfil no Facebook de Daniel Govino. A investigação que resultou na prisão preventiva dos voluntários foi feita pela Polícia Civil de Santarém, não pela Polícia Federal, como cita a publicação. Além disso, não houve venda de imagens para a WWF-Brasil, muito menos uma doação do ator Leonardo DiCaprio para o grupo que combate incêndios na região.

As fotos foram tiradas entre 2013 e 2017 e mostram encontros com amigos ou reuniões comemorativas que ocorreram antes da formação da brigada, em 2018. A Lupa teve acesso às publicações originais. A mais antiga delas, de 9 de maio de 2013, retrata um encontro de Govino na Mercearia São Pedro, em São Paulo. Há duas imagens de 2015: uma que traz uma celebração na Floresta Nacional de Tapajós e outra de um grupo em Juqueí, no litoral de São Paulo, comemorando o casamento do irmão de Govino. Outras duas fotos, de 2016, mostram Govino com sua companheira na época em um almoço em Alter do Chão e amigos reunidos para o Festival das Águas. A última imagem, de novembro de 2017, traz a comemoração do aniversário de um amigo de Govino.

Em nota divulgada em 26 de novembro, a WWF-Brasil afirmou que nunca adquiriu fotos ou imagens da Brigada de Incêndio de Alter do Chão. A ONG tem uma parceria com o Instituto Aquífero Alter do Chão para a compra de equipamentos de combate a incêndios florestais. O valor repassado, de R$ 70 mil, é usado para a aquisição desses materiais, que incluem abafadores, sopradores e máscaras de proteção. O ator Leonardo DiCaprio disse não ter feito qualquer doação ao grupo, em post publicado no dia 30 de novembro no seu perfil oficial no Instagram.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo