A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falsa ‘denúncia’ de ex-deputado do PT sobre Lula e narcotráfico

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.dez.2019 | 17h54 |

Circula nas redes sociais que um ex-deputado estadual de Sergipe e fundador do PT denunciou o envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o tráfico de drogas. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Fundador e ex-deputado do PT denuncia envolvimento de Lula e do partido com o narcotráfico”
Título de texto publicado pelo site Jornal da Cidade Online que, segundo a ferramenta Crowdtangle, até as 17h do dia 6 de dezembro de 2019, tinha sido compartilhado por cerca de por 9,1 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O conteúdo, publicado pelo site Jornal da Cidade Online trata de um texto do ex-deputado estadual de Sergipe Ismael Silva, no qual ele diz que o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva têm ligação com o narcotráfico. A única “denúncia” citada no texto, porém, é uma informação falsa, e o próprio texto menciona isso – embora não mencione no título.

Em publicação no Facebook, Silva disse que “são inúmeras as provas dessa relação associativa” entre o PT e o narcotráfico. O único exemplo que ele cita, porém, é uma fala de Lula no discurso que fez em São Bernardo, no dia 9 de novembro, depois de deixar a prisão. O ex-presidente agradece a “Marcola”. “Agora surge esse áudio, em um palanque em São Paulo, onde Lula agradece ao líder do PCC, Marcola. Palavras deles: ‘quero agradecer o companheiro Marcola que me subsidiava de material e informações’. Isso enquanto ele esteve na prisão em Curitiba!”, diz Silva no texto.

Essa informação é falsa. O “Marcola” citado por Lula é Marco Aurélio Santana Ribeiro, um sociólogo e assessor do PT que levava livros e informações para o ex-presidente enquanto ele estava preso. Isso, inclusive, é citado pelo Jornal da Cidade Online. O Marcola do PCC se chama Marcos Willians Herbas Camacho, e está preso desde 1999. No período em que Lula estava preso em Curitiba, o líder do PCC passou por três presídios, em Presidente Venceslau (SP), Porto Velho e Brasília, onde está atualmente.

O ex-deputado sergipano também criticou Lula pelas declarações sobre ladrões de celular. Ele também falou sobre as queimadas na Amazônia e o derramamento de óleo no Nordeste, mas não explicou a relação desses dois acontecimentos com o PT ou o ex-presidente Lula.

Segundo o TSE, Silva foi deputado estadual por Sergipe pelo PT entre 1991 e 2002. Ele foi o candidato petista à prefeitura de Aracaju, capital do estado, em 1992 e 1996, porém não foi eleito. Em 2018, ele se candidatou a deputado federal pelo PV, mas, com apenas 745 votos, não se elegeu.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo