A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que rede de açougues trafica crianças sequestradas escondidas em carcaças de boi

Editor | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
17.dez.2019 | 18h04 |

Circula nas redes sociais que foi descoberta uma “nova forma de traficar crianças”. Bebês teriam sido encontrados dentro de carcaças de animais em caminhões-frigoríficos da marca Carne Mart. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Descobrem nova forma de traficar com crianças (sic). Traficam crianças dentro de canais de carne (sic), famosa cadeia de carne pode ser responsável por transporta bovinos (sic) com crianças no seu interior. Cuidem dos seus filhos, meu povo”
Imagem publicada no Facebook que, até as 17h do dia 17 de dezembro, tinha sido compartilhada por mais de 17 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Trata-se de um boato mal traduzido que circulou no México e na América Central em março, e foi desmentido pelo site de checagem mexicano Animal Político. A primeira foto, que mostra um caminhão, é uma montagem e não tem relação com a segunda, que mostra um bebê dentro de um animal abatido.

O veículo que aparece na imagem não foi encontrado com crianças dentro de pedaços de carne e não tinha a logo da empresa Carne Mart, uma rede de açougues mexicana. 

A foto original foi tirada em 2017 e publicada em um blog da cidade de Tlapacoyan, Vera Cruz, a cerca de 300 quilômetros da Cidade do México. Segundo o blog, o caminhão foi encontrado, sem crianças dentro, depois de ter sido roubado pela segunda vez em menos de dois meses. A marca da Carne Mart foi inserida digitalmente.

Já a foto que mostra a criança circula nas redes sociais desde, pelo menos, 2017. As versões mais antigas foram publicadas com escritas em árabe. Embora não seja possível precisar o contexto exato da imagem, ela não tem relação com tráfico de crianças no México ou no Brasil.

Essa informação também foi verificada pelo site E-Farsas.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Nathália Afonso

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo