A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Corte do Bolsa Família pago a 2 mil políticos não foi feito no governo Bolsonaro

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
20.dez.2019 | 17h44 |

Circula nas redes sociais uma imagem que afirma que o presidente Jair Bolsonaro acabou com a “mamata” de 2.272 prefeitos, vice-prefeitos e vereadores que recebiam Bolsa Família indevidamente. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“2.272 políticos recebiam Bolsa-Família. (…) Bolsonaro acabou com essa mamata. Por isso tem tanto político contra ele”
Imagem publicada no Facebook que, até as 16h30 do dia 20 de dezembro de 2019, tinha sido compartilhada por mais de 200 pessoas

FALSO

Embora o caso analisado pela Lupa seja verdadeiro, ele não tem nenhuma relação com a gestão do presidente Jair Bolsonaro. As irregularidades foram reveladas em outubro de 2013, ou seja, ainda durante a gestão de Dilma Rousseff (PT). 

Em fevereiro de 2013, técnicos do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), então responsável pelo programa, encontraram 2.272 políticos eleitos em 2012 na lista de beneficiários do programa. Destes, 10 eram prefeitos, 41 vice-prefeitos e 2.221 eram vereadores. Esses pagamentos foram suspensos.

Após aprofundamento das investigações, o MDS concluiu que 104 entre os políticos em questão não tinham sido, de fato, empossados – e tinham o direito ao benefício. Estes voltaram a receber o Bolsa Família. Os pagamentos aos outros 2.168 foram cancelados. À época, essa história foi publicada nos jornais Folha de S.Paulo, Estado de S.Paulo e O Globo.

A lei não impede que beneficiários do Bolsa Família se candidatem a qualquer cargo eletivo. Entretanto, ao assumir um cargo eletivo remunerado, o então beneficiário deve se desligar do programa – segundo o Decreto 5.209/2004, que regulamenta o programa.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo