A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que chá de erva-doce pode ser usado como tratamento contra o novo coronavírus

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.fev.2020 | 07h00 |

Circula nas redes sociais um texto com orientações para prevenir o contágio pelo novo coronavírus, surgido na cidade de Wuhan, na China, no final de 2019. Entre as dicas, é dito que o chá de erva-doce possui as mesmas propriedades do Tamiflu, medicamento utilizado no tratamento de diversos tipos de gripe. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Orientações de prevenção ao corona vírus (sic). (…) Tomar chá de erva-doce duas vezes ao dia. O chá de erva-doce tem a mesma substância que o medicamento Tamiflu, o remédio usado para tratar a gripe A – H1N1”
Imagem publicada no Facebook que, até as 20h do dia 31 de janeiro de 2020, tinha sido compartilhada por 5,6 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Em primeiro lugar, o chá de erva-doce não tem a “mesma substância” que o Tamiflu. O princípio ativo deste remédio é o fosfato de oseltamivir, que não está presente na erva-doce. Segundo o Ministério da Saúde, “nenhum tipo de chá deve ser usado para o tratamento do novo coronavírus”.

Além disso, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Tamiflu não é recomendado para o tratamento específico dessa nova epidemia. A entidade afirma que  ainda não há um medicamento que trate especificamente do 2019-nCoV, nome pelo qual o novo vírus é formalmente conhecido.

Este boato é mais antigo do que o novo coronavírus. Em 2018, quando houve um surto da gripe H2N3, a “informação” de que erva-doce tinha as mesmas substâncias que o Tamiflu começou a circular no WhatsApp. No início do ano passado, o Ministério da Saúde já tinha alertado para a falsidade deste conteúdo.

Contra o novo coronavírus, o Ministério da Saúde sugere cuidados básicos para a prevenção de doenças respiratórias. Entre as recomendações está a lavagem frequente das mãos, evitar contato com pessoas que apresentem os sintomas da doença e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, copos, etc. Veja todas as recomendações aqui.

Ainda não foi confirmado nenhum caso da doença no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, 13 casos suspeitos estavam sendo monitorados no momento até o dia 31 de janeiro.

Emergência Internacional

Na quinta-feira (30), a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a epidemia do novo coronavírus como uma “emergência de saúde global”. Até o dia 31, cerca de 9,8 mil casos foram confirmados na China, onde 232 pessoas morreram. Há ainda 127 pessoas infectadas no resto do mundo.

Para verificar peças de desinformação que circulam sobre o novo coronavírus, a Lupa participa de uma coalizão com mais de 60 veículos de checagem, de diversas partes do mundo, coordenada pela International Fact-Checking Network (IFCN). Essa verificação também foi feita pelos sites Estadão Verifica, AFP Checamos e Aos Fatos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo