A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que ‘marido de Marieta Severo’ ganhava R$ 91 mil na EBC

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
04.fev.2020 | 17h38 |

Circula pelas redes sociais que o diretor de teatro e apresentador Aderbal Freire-Filho recebia um salário de R$ 91 mil da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), estatal responsável pela TV Brasil, durante o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). O post diz ainda que Freire-Filho, companheiro da atriz Marieta Severo, teria sido demitido, sem especificar quando isso ocorreu. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“O diretor teatral [Aderbal Freire-Filho] tinha um salário de R$ 91 mil”

Texto de post no Facebook que, até as 14h de 4 de fevereiro de 2020, tinha 399 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O diretor teatral, ator e autor Aderbal Freire-Filho apresentou o programa Arte do Artista, na TV Brasil, de 2012 a 2017. O valor de R$ 91 mil citado no post representava o valor mensal pago pela EBC para a produção, roteiro, direção e apresentação do programa, como mostra o Contrato de Prestação de Serviços nº 1.063/2013. A atração era exibida semanalmente, ou seja, o valor cobria quatro ou cinco programas. Nesse orçamento estavam incluídos os salários de Freire-Filho e da equipe, além de outras despesas.

Em carta publicada pela página do Facebook da Associação Procure Saber em 2016, Freire-Filho afirmou que os R$ 91 mil pagavam os salários de um diretor de produção, um produtor assistente, um diretor de TV, uma editora e um pesquisador e co-roteirista. Também entravam nesse valor os cachês dos atores e atrizes convidados, gastos com cenografia, passagens aéreas para entrevistados vindos de outras cidades, passagens aéreas para a equipe, diárias da equipe e de convidados, entre outras despesas. “É ainda nesse orçamento que está incluído meu pagamento, pelas funções que exerço: roteirista, apresentador e diretor geral”, escreveu.

O contrato teve dois aditivos. No primeiro deles, de 11 de dezembro de 2014, as parcelas foram reajustadas para R$ 97.025,11 mensais. No segundo, firmado em 11 de dezembro de 2015, esse valor caiu para R$ 68.040,83. Em nota publicada no blog Notícias da TV, de Daniel Castro, quando foi comunicado o cancelamento do Arte do Artista, a EBC informou que a quantia paga como salário de Aderbal Freire-Filho era de R$ 22.996,54 por mês. Ou seja, cerca de um quarto dos R$ 91 mil citados no post. Segundo a empresa, a redução das parcelas ocorreu por conta do corte com passagens aéreas, hospedagem, alimentação, traslados e equipe de apoio, entre outros gastos, que eram de responsabilidade do diretor.

 


“Marido de atriz petista é demitido de estatal”

Texto de post no Facebook que, até as 14h de 4 de fevereiro de 2020, tinha 399 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Aderbal Freire-Filho nunca foi funcionário da TV Brasil. Por isso, jamais poderia ter sido demitido pela estatal. O que ocorreu foi o encerramento do programa Arte do Artista, apresentado e produzido pela empresa dele na emissora, em maio de 2017. O acerto foi feito por meio do cancelamento de um contrato de prestação de serviços e de dois aditivos, acertados em 2014 e 2015.

A EBC foi questionada, em 2016, sobre o vínculo que mantinha com o diretor por meio de um pedido feito via Lei de Acesso à Informação. “Aderbal Freire Filho jamais foi funcionário da EBC. Ele foi e é interveniente de um contrato e dois aditivos assinados entre a EBC e a empresa A. Freire ME, todos disponíveis na página de acesso à informação da empresa”, explicou a emissora. 

Uma versão anterior dessa checagem foi feita pelo Boatos.org.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo