A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Wuhan, província de Hubei 3001 2020 Peng Zhiyong , chefe do departamento de medicina intensiva do Hospital Zhongnan, verifica o registro do diagnóstico de um paciente com seu colega na UTI (unidade de terapia intensiva) do Hospital Zhongnan da Universidade de Wuhan em Wuhan, província de Hubei, na China Central, foto Governo China
Wuhan, província de Hubei 3001 2020 Peng Zhiyong , chefe do departamento de medicina intensiva do Hospital Zhongnan, verifica o registro do diagnóstico de um paciente com seu colega na UTI (unidade de terapia intensiva) do Hospital Zhongnan da Universidade de Wuhan em Wuhan, província de Hubei, na China Central, foto Governo China

#Verificamos: É falso que paciente em hospital no Maranhão foi diagnosticado com novo coronavírus

Editor | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
05.fev.2020 | 18h53 |

Circula nas redes sociais que uma criança foi internada em um hospital em São Luís do Maranhão com “coronavírus”. No texto, é dito que a criança foi internada e teve alta em dezembro do ano passado. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“ALERTA! Hospital São Domingos registra caso de criança com [novo] Coronavírus em São Luís”
Texto publicado no site Luís Cardoso que, até as 18h30 do dia 5 de fevereiro de 2020, tinha sido compartilhado por 180 pessoas no Facebook

FALSO

O coronavírus identificado em uma criança no Hospital São Domingos, em São Luís, não é o mesmo identificado recentemente na China. Segundo o laudo mostrado no conteúdo analisado pela Lupa, foi identificada a presença do vírus HCoV-OC43. Esse vírus causa sintomas idênticos aos da gripe comum. Apesar de ter sido identificado somente em 2004, ele circula desde, pelo menos, o século 19. Até o momento, não há nenhum caso suspeito no estado do Maranhão.

Coronavírus não é o nome do vírus recentemente identificado na China, e sim da família à qual esse organismo, identificado pelo nome 2019-hCoV, pertence. Existem vários outros coronavírus, incluindo sete tipos que causam doenças em seres humanos. Quatro deles causam doenças respiratórias comuns, com sintomas parecidos com a gripe. Um deles é o HCoV-OC43. 

Outros três surgiram recentemente e são bem mais agressivos, com taxas altas de letalidade. O SARS-CoV surgiu na China em 2002, e resultou em uma epidemia global entre 2002 e 2003. O MERS-CoV, o mais letal de todos, foi identificado na Arábia Saudita em 2012. Por fim, em 7 de janeiro, o chamado novo coronavírus, ou 2019-hCoV, foi identificado pela primeira vez na China.

Vale destacar que o conteúdo analisado pela Lupa menciona que a criança ficou internada entre os dias 2 e 23 de dezembro. O primeiro paciente com o 2019-hCoV foi identificado em 31 de dezembro – o vírus só foi identificado como sendo uma nova espécie na semana seguinte. Ou seja, o caso é anterior ao surgimento da doença.

O Hospital São Domingos confirmou, em nota, que não há nenhum caso do novo coronavírus entre seus pacientes. Na nota, a instituição “lamentou” a publicação do documento. O jornal O Imparcial, de São Luís, também verificou essa informação.

Emergência Global

Até as 18h do dia 5 de fevereiro, foram registrados 24.642 casos de pacientes infectados com o novo coronavírus e 493 pessoas morreram, a maioria deles na China. Há casos confirmados em 24 outros países. No Brasil, 11 casos suspeitos estão sendo avaliados, mas nenhum foi confirmado. 21 suspeitas já foram descartadas. Na última quinta-feira (30), a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a epidemia do novo coronavírus como uma “emergência de saúde global”.

Para evitar a propagação de informações falsas que circulam nas redes sociais sobre o novo coronavírus, a Lupa participa de uma coalizão com 78 veículos de checagem, de mais de 30 países, coordenada pela International Fact-Checking Network (IFCN). Todas as checagens realizadas pela agência podem ser conferidas clicando aqui.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌

Editado por: Nathália Afonso

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo