A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que ‘imagens de satélite’ indicam ‘cremação em massa’ de vítimas de coronavírus na China

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
13.fev.2020 | 17h37 |

Circula nas redes sociais um mapa supostamente retirado do site de previsão metereológica Windy.com, que mostraria elevadas concentrações de dióxido de enxofre nos arredores de Wuhan, epicentro da epidemia do novo coronavírus. Isso, segundo a publicação, seria um sinal de que a China está queimando corpos em massa, e mascarando a real situação da epidemia. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:

“Imagem de satélite aponta possível cremação em massa na China devido ao coronavírus”
Texto publicado nos sites UFOs Online e Opinião Crítica que, até as 16h40 do dia 13 de fevereiro, tinham sido compartilhados por mais de 2,4 mil pessoas no Facebook

FALSO

Embora tenha sido publicada por jornais e sites do Reino Unido, como Daily Mail, The Sun e Metro, por exemplo, a informação analisada pela Lupa é falsa. As imagens foram retiradas de um site de previsão metereológica que utiliza dados históricos para prever a concentração de gases poluentes. Não se trata, portanto, de uma informação de satélite registrada em tempo real.

A publicação cita como fonte das imagens um site de previsão metereológica checo chamado Windy.com. Segundo o texto, a página teria mostrado uma alta concentração de dióxido de enxofre no entorno de Wuhan, epicentro da epidemia do novo coronavírus, “no fim de semana”, sem especificar a data. A publicação afirma que isso seria um indicativo de que corpos estão sendo queimados em massa na cidade.

Entretanto, as informações do site Windy.com não são imagens e dados produzidos em tempo real, mas sim previsões. Para a concentração de dióxido de enxofre, o site utiliza como fonte um modelo de previsão da Nasa chamado Goddard Earth Observing System Model, Version 5 (GEOS-5). Esse modelo se utiliza de dados históricos e aplica variáveis meteorológicas para antever a concentração de determinados poluentes. Sendo assim, ele não é capaz de detectar mudanças súbitas na concentração de dióxido de enxofre em nenhum lugar do mundo.

O site de checagem de fatos britânico Full Fact entrevistou um dos pesquisadores da Nasa que trabalha no GEOS-5, Arlindo M. da Silva, e ele confirmou que é impossível detectar uma mudança súbita na emissão de dióxido de enxofre utilizando essa ferramenta. “Embora dados de satélite sejam utilizados na construção dos inventários de emissão [que baseiam as previsões], eles não são responsáveis pelas variações diárias na concentração de dióxido de enxofre, e portanto não podem indicar mudanças súbitas na atividade humana”, disse. “No GEOS-5, variações diárias em dióxido de enxofre são devidas a variações nas condições meteorológicas, particularmente ventos.”

Emergência Global

Desde o início do ano, 60,4 mil pessoas foram infectadas com o novo coronavírus, sendo que 1,3 mil morreram. Em 30 de janeiro, a Organização Mundial da Saúde declarou estado de emergência global por causa do surto. Para verificar peças de desinformação que circulam sobre o novo coronavírus, a Lupa participa de uma coalizão com checadores de 39 países, coordenada pela International Fact-Checking Network (IFCN).

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo