A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Fotos: Gabriel Monteiro/Riotur
Fotos: Gabriel Monteiro/Riotur

#Verificamos: Preta Gil não cantou em bloco de Carnaval após contrair Covid-19

Editor | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
17.mar.2020 | 19h30 |

Circula nas redes sociais que a cantora Preta Gil, após ser diagnosticada com Covid-19, “arrastou 300 mil pessoas em um bloco” de Carnaval. O texto compara Preta com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), criticado por participar de manifestações contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF) no último domingo (15). Bolsonaro tinha sido orientado por médicos a ficar em isolamento após ter contato com pessoas diagnosticadas com o vírus. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado.

“Preta Gil está com Coronavirus. Arrastou 300 mil pessoas em um bloco, todo mundo suando, se esbarrando. Silêncio. Bolsonaro tirou 3 fotos e virou perigo à humanidade”
Texto publicado no Facebook que, até as 18h do dia 17 de março de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 1,6 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Embora Preta Gil, de fato, tenha sido diagnosticada com Covid-19, seu bloco de carnaval se apresentou pela última vez no dia antes do evento em que a cantora provavelmente contraiu a doença, e onze dias antes dos primeiros sintomas aparecerem.

Preta Gil puxou o Bloco da Preta, seu bloco de carnaval, pela última vez no dia 1º de março, domingo seguinte ao carnaval, em São Paulo. Naquele dia, o Brasil tinha apenas dois casos confirmados da doença, nenhum deles por transmissão local. 

No dia 7, ela cantou no casamento de Marcella Minelli, irmã da influenciadora digital Gabriela Pugliesi, em um resort em Itacaré, na Bahia. Neste dia, muito provavelmente, contraiu Covid-19, assim como alguns dos convidados da festa – incluindo a própria Pugliesi. No dia 11, ela sentiu os primeiros sintomas, e no dia 13, recebeu a confirmação de que estava doente. Desde então, Preta segue em isolamento.

Por fim, vale destacar que a foto que ilustra a publicação foi tirada no carnaval de 2017.

14 contaminados na comitiva presidencial

Bolsonaro, por sua vez, viajou para os Estados Unidos no último dia 7, com uma comitiva de políticos e empresários. Até as 18h do dia 17 de março, 14 membros dessa comitiva, incluindo o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, foram diagnosticados com a doença. 

Embora o presidente não tenha sido diagnosticado com a doença até o momento, ele recebeu a recomendação de ficar em isolamento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que quem tiver contato com pessoas infectadas deve passar 14 dias em isolamento, tempo máximo de incubação do vírus. Essa medida foi aplicada, por exemplo, aos 40 brasileiros que foram resgatados de Wuhan, epicentro inicial da pandemia.

No domingo (15), porém, ele participou das manifestações contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. Na ocasião, ele apertou a mão de diversos apoiadores e tirou fotos com eles.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo