A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Tabela que circula nas redes sociais induz a erro ao comparar países com e sem quarentena

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.abr.2020 | 18h45 |

Circula pelas redes sociais uma tabela que compara o número de casos de infecção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), causador da Covid-19, com ações adotadas em diversos países. A imagem aponta que países como a Holanda, Coreia do Sul, Israel, Suécia e Japão teriam conseguido diminuir o número de mortes e infectados mesmo não tendo adotado quarentena. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Países sem a quarentena: Holanda”
Imagem que circula pelo Facebook que, até às 15h do dia 1º de abril de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 160 pessoas 

FALSO

O governo dos Países Baixos proibiu o funcionamento de escolas, bares, restaurantes e locais públicos de entretenimento até o dia 28 de abril. Também estão fechados estabelecimentos que dependem do contato humano, como cabeleireiros e manicures. Reuniões de pessoas também estão proibidas até essa data, com exceção para funerais e cerimônias de casamento (com até 30 pessoas) e encontros religiosos ou ideológicos (até 30 pessoas), por exemplo. 

A população dos Países Baixos está sendo orientada a ficar em casa o máximo de tempo possível. Algumas lojas podem abrir, mas os clientes devem manter uma distância de 1,5 metro uns dos outros. Caso essa norma, que também vale para mercados, seja desrespeitada, a empresa pode ser multada em até 4 mil euros. As regras de isolamento podem ser consultadas, em inglês, no site do governo. A Lupa verificou uma afirmação semelhante nesta quarta-feira (1º).


“Países sem a quarentena: Coreia do Sul” 

Imagem que circula pelo Facebook que, até às 15h do dia 1º de abril de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 160 pessoas 

VERDADEIRO, MAS

Durante a pandemia, a Coreia do Sul não suspendeu atividades comerciais e profissionais, apesar de, assim como todos os países citados, ter fechado suas escolas e universidades. Isso não foi feito, porém, porque o país agiu rápido para conter a pandemia, testando sua população em larga escala em focos da disseminação da doença. Para isso, usou tecnologias de monitoramento, algumas delas bastante intrusivas para padrões ocidentais. Assim, conseguiu detectar e isolar pacientes contaminados com mais rapidez que outros países menos bem-sucedidos no combate à doença. Logo, não faz sentido comparar a Coreia do Sul com países que determinaram medidas severas de restrição de movimentação quando a epidemia já estava alastrada, como a Itália ou a Espanha.

O alto número de testes também explica a baixa taxa de mortalidade. Como mais pessoas assintomáticas foram testadas, casos brandos que passariam despercebidos em outras localidades foram registrados.


“Países sem a quarentena: Israel”
Imagem que circula pelo Facebook que, até às 15h do dia 1º de abril de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 160 pessoas 

FALSO

Desde o dia 22 de março, a população de Israel está sob isolamento. As pessoas só devem sair de casa para trabalhar caso as atividades em sua área profissional não estejam suspensas (como médicos, por exemplo) ou para comprar mantimentos. O governo fechou suas escolas e universidades no dia 12 de março e, dois dias depois, anunciou o fechamento de todos os estabelecimentos públicos e lojas considerados não essenciais. Atualmente, quem for pego desrespeitando o isolamento pode ser multado. No final de março, circulou pelas redes sociais que Israel conseguiu manter um baixo número de mortes por Covid-19 “isolando apenas os idosos”. A Lupa classificou essa informação como falsa


“Países sem a quarentena: Suécia”
Imagem que circula pelo Facebook que, até às 15h do dia 1º de abril de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 160 pessoas 

VERDADEIRO, MAS

A Suécia não determinou o fechamento de todo o comércio, mas proibiu a aglomerações públicas de mais de 50 pessoas, fechou instituições de ensino e está sugerindo que a população trabalhe de casa. Em 23 de março, o primeiro-ministro do país, Stefan Löfven, fez um pronunciamento e indicou que era possível o país adotar políticas mais extremas para conter a propagação do vírus. “Quero que você esteja preparado para a possibilidade de novas decisões de longo alcance, às vezes a curto prazo, às vezes perturbando ainda mais nossa vida cotidiana”, disse Löfven. Por ora, porém, essas medidas não foram tomadas. A ausência de medidas de isolamento, como no resto da Europa, e de testes em larga escala, como na Coreia do Sul, tem gerado críticas por parte de médicos e da comunidade científica do país.


“Países sem a quarentena: Japão”
Imagem que circula pelo Facebook que, até às 15h do dia 1º de abril de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 160 pessoas 

VERDADEIRO, MAS

O governo japonês alertou sua população sobre os riscos do novo coronavírus antes de o primeiro caso chegar ao país. As autoridades cancelaram as aulas e aconselharam o isolamento em casa. Na última terça-feira (31), a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, pediu que os moradores da região evitassem frequentar bares e restaurantes para conter a disseminação do vírus.


“Números do Covid-19”
Imagem que circula pelo Facebook que, até às 15h do dia 1º de abril de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 160 pessoas 

VERDADEIRO, MAS

Os números mencionados na imagem estão próximos dos dados mais atualizados da pandemia, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos. Essa base de dados agrega o número de infectados, mortos e pacientes que conseguiram se recuperar da doença. Contudo, a comparação entre os países está incorreta, uma vez que alguns deles adotaram medidas de isolamento. 

Além disso, os números extremos da Itália e da Espanha aconteceram, justamente, porque a resposta inicial foi lenta demais, forçando medidas drásticas para conter a epidemia quando ela já estava alastrada. Países que se mobilizaram mais cedo, como a Coreia do Sul, não precisaram de um isolamento tão severo.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌

Editado por: Chico Marés e Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo