A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Marcelo Bretas não postou texto dizendo que hidroxicloroquina atrapalha corrupção de políticos

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
15.abr.2020 | 17h19 |

Circula nas redes sociais que um texto que supostamente teria sido publicado pelo juiz federal Marcelo Bretas. Nele, o magistrado teria dito que o “problema” da hidroxicloroquina é que ela torna desnecessárias as construções de hospitais de campanha e as compras de respiradores superfaturados por políticos corruptos. A substância tem sido testada no tratamento de pacientes graves com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“O ‘problema’ com a hidroxicloroquina é que ela torna desnecessário [sic] os milhões gastos com compras de respiradores e construção de hospitais de campanha superfaturados. O resto é conversa fiada de psicopatas corruptos em busca de poder e que não estão preocupados em salvar vidas”
Post atribuído ao juiz Marcelo Bretas que, até às 15h do dia 15 de abril de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 7,8 mil pessoas no Facebook

FALSO

O post analisado pela Lupa não foi publicado pelo juiz federal Marcelo Bretas em suas redes sociais. Na última terça-feira (14), o magistrado desmentiu o boato em seu perfil oficial no Twitter. “A publicação abaixo NÃO É AUTÊNTICA. A “conta” em questão não me pertence, apesar de ostentar minha fotografia”, escreveu o juiz. 

 

Em seu Twitter, Bretas fez poucas publicações comentando a pandemia da Covid-19. No dia 23 de março, por exemplo, ele compartilhou um tuíte feito pelo presidente Jair Bolsonaro e escreveu o seguinte texto: “Responsabilidade + Serenidade ≠ Pânico, esta é a fórmula. Juntos vamos superar esta situação adversa, salvando vidas e empregos. Que Deus ilumine nossas autoridades (1 Timóteo 2; 1 e 2)!”

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a hidroxicloroquina e a cloroquina podem causar 13 tipos diferentes de distúrbios, como problemas nos rins, coração, visão e outros problemas de saúde. A agência explica que ainda não há estudos conclusivos sobre o efeito da hidroxicloroquina e da cloroquina no tratamento da Covid-19. Segundo o órgão, as pesquisas conduzidas até o momento têm um número de pacientes muito reduzido. Logo, ainda não se sabe se o medicamento é efetivo. “Mais dados precisam ser coletados, de maneira adequada, para haver certeza de que vai funcionar”, diz texto publicado pela agência.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo