A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que covas foram abertas para enterrar caixões vazios em Marabá

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
30.abr.2020 | 17h18 |

Circula no WhatsApp uma imagem que mostra uma mulher gritando com outra pessoa, de máscara, na frente de uma retroescavadeira. A legenda diz que a cena se passou na cidade de Marabá, no Pará, e que o prefeito queria enterrar caixões vazios. O texto ainda informa que a mesma ação também teria acontecido na capital Belém. Essa sugestão foi encaminhada por um leitor pelo formulário LupaAqui, no qual é possível recomendar conteúdos para verificação. Confira a análise da Lupa:

“Governo do Para emterou 30 caixãos (sic) em Belem sem nenhum corpo!”
Texto da mensagem que circulava no WhatsApp em 30 de abril de 2020

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não existe nenhum registro ou denúncia em qualquer meio de comunicação apontando que caixões foram enterrados vazios em Belém, capital do Pará. Em nota, a prefeitura da cidade afirmou que não tem “nenhum registro” sobre a informação.

Até quinta-feira (30), o estado do Pará registrou 2.949 casos confirmados e 219 mortes por Covid-19. A capital Belém tem 1.641 casos e 136 óbitos.

“E prefeito de Maraba Quiria fazer o mesmo em morada nova! Mas a máquina foe impedida de Abril às covas pela população! Isso no horário noturno!Meu Deus pra que isso gente. isso é pra pedir mais verbas e jogar a culpa da ipedemia no Bolsonaro, maldita. esquerda usa a vidas das pessoas para obter lucros”
Texto da mensagem que circulava no WhatsApp em 30 de abril de 2020

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A imagem que circula no WhatsApp foi extraída de um vídeo compartilhado em um grupo fechado do Facebook. A Lupa teve acesso ao vídeo e conseguiu comprovar que ele realmente foi gravado em Marabá, no Pará, mas não tem relação com enterros sem corpos. Em nota, a Prefeitura de Marabá afirmou que a informação de que caixões estariam sendo enterrados vazios “não procede”.

A filmagem foi feita no dia 23 de abril por moradores da Vila Murumuru, na zona rural de Marabá. Na ocasião, eles protestaram contra a abertura de novas covas e reclamaram da falta de transparência da prefeitura. De acordo com o portal G1, os moradores afirmaram que prefeitura não tinha informado o motivo da abertura de novas covas e nem de onde viriam os corpos – e eles acreditavam que seriam óbitos exclusivos de Covid-19.

Na ocasião, a Prefeitura de Marabá afirmou, em nota ao G1, que a Secretaria de Saneamento Ambiental autorizou a abertura de novas valas e que seriam alocados corpos de futuros óbitos que venham a acontecer, independentemente da causa da morte. De acordo com a prefeitura, trata-se de uma operação de rotina que não tem relação com a Covid-19.

Até quinta-feira (30), Marabá registrou 36 casos confirmados e 6 mortes por Covid-19.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés e Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo