A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Rui Costa pediu para a prefeita de Porto Seguro ‘arrumar 200 casos de Coronavírus’

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
30.abr.2020 | 18h19 |

Circula nas redes sociais gravação de uma videoconferência realizada pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), com a prefeita do município de Porto Seguro, Cláudia Oliveira (PSD). A legenda diz que Costa pediu para a prefeita “arrumar com urgência” 200 casos de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Já sentiu nojo hoje? O Governador Rui Costa PT/BA pede para a prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira do PSD, arrumar com urgência 200 casos de Coronavírus para colocar nas estatísticas para pedir dinheiro pro governo federal. As imagens falam por si próprio”
Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 18h do dia 30 de abril, tinha sido compartilhado por mais de 1,1 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Embora o vídeo seja verdadeiro, em momento algum o governador da Bahia, Rui Costa (PT), solicita que a prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira (PSD), “arrume com urgência” casos de Covid-19 no município. O governador apenas cita, proporcionalmente, a razão entre ocupação de leitos de UTI e casos confirmados da doença. 

O vídeo original foi postado pela prefeita, em seu perfil pessoal, no dia 23 de abril. Na gravação, é mostrada uma videoconferência realizada por Costa também com outros prefeitos do estado. “Segue complemento da nossa interação em reunião com nosso governador @ruicostaoficial e secretário estadual de Saúde @fabio_vboas”, diz a legenda.

 

Segue complemento da nossa interação em reunião com nosso governador @ruicostaoficial e secretário estadual de Saúde @fabio_vboas

Publicado por Cláudia Oliveira em Quinta-feira, 23 de abril de 2020

Nos cerca de dez minutos de gravação, Costa estima qual seria a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de acordo com a quantidade de pacientes com coronavírus não recuperados. Na conta realizada pelo governo, para cada 100 pessoas identificadas com a doença, 5 leitos de UTI estariam ocupados. “Você precisa num momento o que a gente está chamando de ativo (…) então para ocupar dez leitos de UTI, precisavam ter 200 pessoas simultaneamente ativos com a doença”, afirma.

O governador diz, ainda, que a quantidade de leitos de Porto Seguro pode não ser suficiente para atender a demanda caso medidas de distanciamento social não sejam cumpridas. “É evidente que não é suficiente nenhuma quantidade de UTI”, conclui. “Se houver um relaxamento, todo mundo for para a rua e sair contaminando todo mundo, nem que tenha 200 leitos aí vai dar conta”.

Essa informação também foi verificada pelos sites Aos Fatos, Boatos.org e Bahia Notícias.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo