A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que 170 milhões estão recebendo auxílio emergencial por coronavírus no Brasil

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.maio.2020 | 14h13 |

Circula nas redes sociais que 170 milhões de pessoas se inscreveram para receber o auxílio emergencial de R$ 600 que está sendo pago a pessoas em situação de vulnerabilidade pelo governo federal durante a epidemia de Covid-19. A mensagem ironiza esse número, pontuando que é muito maior do que a quantidade de eleitores que votaram no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2018. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Bolsonaro teve 57 milhões de votos. Para receber os 600 reais [do auxílio emergencial] teve 170 milhões inscritos. Não é fofa a resistência?”
Texto publicado no Facebook que, até as 13h30 do dia 6 de maio de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 2,3 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Segundo a Caixa Econômica Federal, responsável por fazer o pagamento do auxílio emergencial, foram efetuados 51,1 milhões de cadastros no sistema. Até o momento, 50 milhões de pessoas, de fato, receberam o benefício. Esses dados foram publicados pelo banco estatal nesta quarta-feira (6).

Além disso, vale pontuar que o auxílio, embora esteja sendo pago pelo governo, não foi uma decisão unilateral do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Inicialmente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, propôs a criação de um auxílio temporário de R$ 200. Durante a tramitação, o relator da proposta, Marcelo Aro (PP-MG), aumentou o valor para R$ 500 no substitutivo do projeto. Várias emendas foram apresentadas à proposta, incluindo uma proposta da deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) que estabelecia o auxílio em R$ 1.000. Após reunião com a liderança do governo, Aro propôs o valor de R$ 600 – que foi aprovado por unanimidade, ou seja, com apoio da oposição, no dia 26 de março na Câmara e no dia 30 de março no Senado.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi criado para garantir uma renda mínima para a população mais pobre durante a pandemia de Covid-19. Podem ser beneficiários pessoas sem emprego formal com renda mensal até meio salário mínimo (R$ 522,50). Mães solteiras têm direito a acumular dois benefícios.

Atualização às 17h19 do dia 7 de maio de 2020: A matéria foi modificada para detalhar o trâmite da proposta na Câmara.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo