A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Washington Post informou que paciente zero da Covid-19 era funcionário de laboratório em Wuhan

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
11.maio.2020 | 16h36 |

Circula nas redes sociais que o jornal Washington Post confirmou que o primeiro paciente contaminado pelo vírus SARS-Cov-2, que causa a Covid-19, era funcionário de um laboratório de virologia da cidade de Wuhan, na China. A informação foi publicada no site Conexão Amazonas. Essa sugestão de checagem foi encaminhada por um leitor da Lupa pelo formulário LupaAqui, no qual é possível recomendar conteúdos para verificação. Confira a checagem da Lupa:

“O Washington Post confirma a origem do paciente zero do coronavírus: ele era funcionário do famoso laboratório de virologia da cidade chinesa de Wuhan”
Texto publicado no site Conexão Amazonas que, até às 13h do dia 11 de maio de 2020, já havia sido compartilhado por mais de 200 pessoas 

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O jornal americano Washington Post não publicou uma reportagem informando que o paciente zero do novo coronavírus era um funcionário de um laboratório de virologia da Wuhan, na China. Essa informação começou a circular após o veículo publicar um artigo de opinião falando sobre falhas de segurança em um laboratório na cidade chinesa. Contudo, o texto afirma que ainda não há evidências conclusivas sobre a fonte do vírus responsável pela Covid-19. 

“Dois anos antes da pandemia do novo coronavírus virar o mundo de cabeça para baixo, funcionários da Embaixada dos Estados Unidos visitaram repetidamente um centro de pesquisa chinês na cidade de Wuhan e enviaram dois avisos oficiais a Washington sobre a insuficiente segurança do laboratório, que estava conduzindo estudos de risco sobre coronavírus em morcegos. Os cabos alimentaram o debate dentro do governo dos EUA sobre se este ou qualquer outro laboratório de Wuhan era a fonte do vírus, embora ainda não haja evidências conclusivas”, diz o texto.

Em seu Facebook, o editor de opinião em espanhol do Washington Post, Mael Vallejo, desmentiu a informação de que a origem do novo coronavírus veio de um funcionário de um laboratório de Wuhan. 

O Washington Post tem uma equipe de checagem que já classificou como falsa a informação que o vírus da Covid-19 teria sido criado dentro de um laboratório da China. No início de maio, os checadores do jornal informaram que conversaram com pesquisadores sobre o assunto e que todos acreditam que o vírus é resultado de um processo natural. 

Até o momento, especialistas afirmam que não existem comprovação de que o vírus da Covid-19 tenha sido criado dentro de um laboratório, intencionalmente ou não. Em março, pesquisadores australianos publicaram um estudo genético do vírus na revista Nature Medicine que “mostra claramente que o SARS-CoV-2 não é um constructo de laboratório nem um vírus manipulado propositadamente”. As técnicas de modificação genética dos vírus deixam vestígios e não há traços dessas pegadas no novo coronavírus, segundo os cientistas. O projeto Lupa na Ciência publicou uma reportagem sobre esse assunto em abril deste ano.

Os sites espanhóis Maldita.es e Newtral, e o site colombiano La Silla Vacía, também verificaram essa informação. Esses sites fazem parte da aliança internacional de checadores contra desinformação durante a pandemia de Covid-19, coordenada pela IFCN, da qual a Lupa também participa.  No Brasil, checagem semelhante foi feita pelo pelo Boatos.org.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo