A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que médico paraense descobriu a cloroquina

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.maio.2020 | 19h45 |

Circula pelas redes sociais uma montagem com a foto do médico paraense Gaspar de Oliveira Vianna (1885-1914) e o desenho de uma caixa de cloroquina. De acordo com o texto da imagem, o pesquisador brasileiro descobriu o remédio para curar pacientes com malária. A legenda da imagem diz, ainda, que ele não quis patentear o medicamento e “deixou esse legado para a humanidade”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Você sabia que foi um paraense que descobriu a cloroquina? Dr. Gaspar Viana”
Texto de imagem em post do Facebook que, até as 18h de 21 de maio de 2020, tinha 170 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A cloroquina não foi descoberta pelo brasileiro Gaspar de Oliveira Vianna, mas pelo cientista austríaco Hans Andersag, que trabalhava para a empresa alemã Bayer. Ele sintetizou a droga em 1934, ou seja, 20 anos depois da morte do médico paraense. Andersag chegou à fórmula com o objetivo de desenvolver um tratamento mais eficaz contra a malária. Até então, o tratamento da doença era feito com quinino. O medicamento, no entanto, foi considerado muito tóxico na época. Apenas em 1945, a droga passou a ser recomendada no combate à doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A hidroxicloroquina surgiu naquele mesmo ano, como um derivado menos tóxico da cloroquina.

O médico patologista Gaspar Vianna tornou-se conhecido por ter descoberto um tratamento para a leishmaniose e para o granuloma venéreo, com injeções de tártaro emético. Ele também foi um dos primeiros cientistas que estudaram a doença de Chagas, estabelecendo quais são as características da enfermidade. Dedicou-se ainda a análises de vários tripanosomas e micoses. Não foram encontrados registros de que ele tenha se dedicado à malária ou proposto qualquer tipo de droga para a doença. Vianna morreu com apenas 29 anos, depois de contrair uma forma grave de tuberculose ao fazer uma autópsia.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo