Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Bolsonaro não chamou apoiadores de ‘bostas’ durante reunião ministerial

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
25.maio.2020 | 17h48 |

Circula nas redes sociais que o presidente Jair Bolsonaro teria chamada seus apoiadores de “bostas” durante reunião ministerial no dia 22 de abril. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“‘Se precisar de apoio EU peço A UM DESSES BOSTAS AÍ para pegar uma bandeira e balançar aqui na frente do Palácio.’ Jair Bolsonaro, 22/04/2020”
Frase atribuída ao presidente Jair Bolsonaro que, até às 17h do dia 25 de maio de 2020, tinha sido compartilhado por diversas pessoas no Facebook

FALSO

Durante a reunião ministerial realizada no dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro não chamou apoiadores de “bostas”. O vídeo do encontro foi divulgado na última sexta-feira (22) e mostra que o presidente usou a palavra “bosta” em cinco ocasiões, porém em nenhuma delas para descrever apoiadores. É possível baixar todos os vídeos e a transcrição completa aqui.

Bolsonaro usou a palavra bosta para criticar prefeitos e governadores no encontro com ministros. “Por  isso que eu quero, ministro da Justiça e ministro da Defesa, que o povo se arme!  Que é a garantia que não vai ter um filho da puta aparecer para impor uma ditadura aqui! Que é fácil impor uma ditadura! Facílimo! Um bosta de um prefeito faz um bosta de um decreto, algema, e deixa todo mundo dentro de casa. Se tivesse armado, ia pra rua”, disse. 

Em outro trecho, o presidente disse o seguinte: “O que esses caras fizeram com o vírus, esse bosta desse governador de São Paulo, esse estrume do Rio de Janeiro, entre outros, é exatamente isso. Aproveitaram o vírus, tá um bosta de um prefeito lá de Manaus agora, abrindo covas coletivas. Um bosta”.

Não foi possível encontrar a palavra “apoiadores” na transcrição do vídeo da reunião. Contudo, a palavra “apoio” foi utilizada na reunião por Bolsonaro para falar sobre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.  

Na última sexta-feira (22), o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello decidiu tornar público o vídeo da reunião ministerial que ocorreu no dia 22 de abril. Esse encontro foi citado pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro como sendo uma prova de que Bolsonaro desejava interferir na autonomia da Polícia Federal. 

Vale acrescentar ainda que não foi possível encontrar um registro público do presidente Jair Bolsonaro chamando apoiadores de “bostas”. A Lupa analisou as redes sociais o presidente (Facebook, Twitter e Instagram) e também jornais brasileiros.

Uma checagem semelhante foi feita pelo Boatos.org.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo