A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Roubo em vídeo viral ocorreu em supermercado de Jandira, em SP, não no Atacadão

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
28.maio.2020 | 17h44 |

Circula pelas redes sociais um vídeo que mostra uma mulher no estacionamento de um supermercado, guardando as compras no carro. Usando máscaras de proteção contra o novo coronavírus, dois homens aproximam-se do veículo. Um deles finge ajudar e leva o carrinho de compras. Outro bandido aproveita um momento de distração da vítima para entrar no veículo pela porta traseira, no lado oposto ao da motorista. Ela também entra no automóvel e fecha a porta. Em seguida é a vez do outro assaltante, que também entra pela porta do motorista. O carro sai do estacionamento sem que ninguém perceba se tratar de um roubo. De acordo com a legenda, o crime ocorreu em uma unidade da rede Atacadão. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Fiquem atentos isso foi no Atacadão”
Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 15h de 28 de maio de 2020, tinha mais de 1,3 mil compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O sequestro-relâmpago não ocorreu em uma unidade da rede Atacadão, mas no estacionamento do supermercado Paraná Atacadista localizado em Jandira, na região metropolitana de São Paulo. Segundo resumo do boletim de ocorrência enviado pela Secretaria de Segurança Pública, a mulher, de 54 anos, sofreu a abordagem por volta das 17h do último domingo (24) na avenida Carmine Gragnano, no bairro Núcleo Micro Industrial Presidente Wilson.

Embora a nota não traga o nome do supermercado onde o crime ocorreu, é possível identificar, pelo Google Maps, que o único estabelecimento comercial desse tipo na via é o Paraná Atacadista. Por meio do recurso Street View, vê-se que uma das entradas do estacionamento, localizada na avenida Alziro Soares, tem vários elementos semelhantes aos que aparecem no vídeo, como os portões amarelos, a mureta na cor azul e a placa azul, com letras brancas, indicando a saída.

Assim que o carro da vítima deixa o local, aparecem também quatro imóveis no canto superior direito da imagem: uma casa verde, outra amarela, uma casa cinza e um sobrado. O conjunto pode ser visto também no Google Maps, o que confirma a localização onde ocorreu a filmagem do crime (veja na imagem abaixo). Além disso, o formato do estacionamento coincide com o mostrado no vídeo, com fileiras paralelas de dois carros de cada lado e um conjunto de vagas próximas do muro da calçada, de formato circular.

O boletim de ocorrência informa que os criminosos seguiram até a rua Marechal Rondon, em Carapicuíba, onde deixaram a mulher sair do veículo – o trajeto tem cerca de 10 quilômetros. Eles levaram o carro e os pertences da vítima, incluindo as compras. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os bandidos ainda não haviam sido identificados até esta quinta-feira (28) . “O caso foi registrado como roubo no 10º DP de Osasco e encaminhado à Delegacia de Jandira, responsável pela área dos fatos”, diz o texto.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo