Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Churchill nunca disse que os fascistas do futuro se chamarão ‘antifascistas’

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.jun.2020 | 19h05 |

Circula pelas redes sociais uma imagem com uma frase atribuída ao ex-primeiro ministro do Reino Unido Winston Churchill (1874-1965). De acordo com a publicação, ele teria dito que “os fascistas do futuro chamarão a si mesmos de antifascistas”. Seria ao mesmo tempo uma previsão do surgimento do movimento Antifa e uma crítica a esse grupos, que se opõem a conservadores e à extrema-direita. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Os fascistas do futuro chamarão a si mesmos de antifascistas”
Frase atribuída ao ex-primeiro ministro do Reino Unido Winston Churchill em post publicado no Facebook que, até as 17h de 1º de junho de 2020, tinha 715 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A Sociedade Internacional Churchill, uma organização criada para preservar a memória e o legado do ex-primeiro ministro britânico, afirmou, em nota, que ele nunca fez essa afirmação. “Essa frase algumas vezes é atribuída a Winston Churchill, mas na verdade não foi dita por ele”, afirmou o diretor-executivo interino da entidade, Lee Pollock. O grupo chegou a divulgar um texto desmentindo a autoria da declaração em 2018. Em 7 de agosto daquele ano, Gregg Abbott, governador do Texas, nos Estados Unidos, tuitou um meme com essa frase e uma imagem de Churchill. A desinformação foi compartilhada também pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ)

O número de afirmações atribuídas erroneamente ao ex-primeiro ministro britânico é tão grande que se criou até em um termo para descrever o fenômeno: “Churchillian Drift”, ou “Derivações Churchillianas”, em português. De acordo com a Sociedade Internacional Churchill, o governador do Texas caiu nessa armadilha ao atribuir uma frase de origem desconhecida ao político. “A afirmação jamais foi documentada como tendo sido dita ou escrita por Churchill”, afirmou David Freeman, editor do Churchill Bulletin, na época. O texto divulgado pela entidade ressalta, no entanto, que o ex-primeiro ministro sempre criticou extremismos vindos da direita ou da esquerda.

Sites como Politifact, Snopes e Associated Press desmentiram a afirmação compartilhada por Abbott na época. Ele apagou o tuíte. Segundo o Politifact, a imagem com a frase foi publicada originalmente em um site humorístico, o 9gag.com. O Snopes conseguiu rastrear declarações semelhantes publicadas em jornais americanos, mas nenhuma associada a Churchill. A mais antiga encontrada saiu em 18 de março de 1936, no Cincinnati Inquirer. A reportagem atribui a fala ao pastor presbiteriano Norman Thomas, que disputou a presidência dos Estados Unidos. Ele teria reproduzido a declaração de um outro político, Huey Long, morto no ano anterior. A atribuição a Churchill só começou a aparecer em 2010.

Conservador, Churchill foi primeiro-ministro do Reino Unido em duas ocasiões. Sua primeira passagem, entre 1940 e 1945, foi durante a Segunda Guerra Mundial. Na ocasião, o Reino Unido foi um dos principais países aliados, junto com os Estados Unidos e a União Soviética, no combate às potências do Eixo – a Alemanha nazista, a Itália fascista e o Japão. Antes do conflito, Churchill era um dos principais opositores à política de apaziguamento com os nazistas defendida pelo seu antecessor, Neville Chamberlain.

Uma versão semelhante desse conteúdo foi checada pelo Estadão Verifica e Fato ou Fake.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo