A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Vídeo que mostra adolescente agredindo idoso em metrô não tem relação com movimento Black Lives Matter

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
10.jun.2020 | 16h39 |

Circula pelas redes sociais um vídeo em que um jovem agride com um soco um homem que usava uma camisa com a bandeira dos Estados Unidos. De acordo com a legenda, o menino seria um membro do movimento “Black Lives Matter” e teria nocauteado “um idoso negro por usar a camiseta de seu país”. Essa sugestão foi encaminhada por um leitor pelo formulário LupaAqui, no qual é possível indicar conteúdos para verificação. Confira a análise da Lupa:

“Membro do Black Lives Matter nocauteia idoso negro por usar uma camisa com a bandeira de seu país. Essa é a democracia que a esquerda apoia..”
Vídeo publicado no Twitter que, até o dia 10 de junho de 2020, tinha sido compartilhado por cerca de 1,5 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo foi gravado em abril de 2011, e o agressor se entregou à polícia depois que o vídeo se tornou viral sete meses depois. O movimento Black Lives Matter surgiu somente dois anos depois, em 2013. Naquele ano, George Zimmerman, vigilante voluntário na cidade de Sanford, na Flórida, foi absolvido após matar a tiros um adolescente negro, Trayvon Martin, no ano anterior. Portanto, a agressão não tem qualquer relação com o movimento.

As cenas que aparecem no vídeo foram gravadas em abril de 2011. As imagens mostram Scotty Strahan, então com 18 anos, agredindo um idoso em uma estação de metrô em Chicago, enquanto algumas pessoas riem da situação. Contudo, as imagens se tornaram públicas e virais em 05 de novembro daquele ano, após publicação site World Star HipHop

Depois que o vídeo foi publicado, as autoridades iniciaram uma investigação para identificar o agressor. Strahan se entregou à polícia no dia 23 de novembro e foi indiciado por agressão corporal. A imprensa local noticiou o ocorrido (aqui, aqui e aqui) e informou que o idoso, que de fato usava uma camiseta com a bandeira dos Estados Unidos, estaria em situação de rua. Contudo, o idoso não foi identificado. O motivo da agressão tampouco foi esclarecido.

Segundo o tabloide britânico Daily Mail, a Fox News Chicago entrevistou a mãe de Strahan, que confirmou a data da agressão e disse que o filho estaria passando por “um período difícil” à época. O vídeo original foi visto mais de 1 milhão de vezes.

O Black Lives Matter sequer existia nessa época. O movimento surgiu, nos Estados Unidos, em 2013. Na época, um vigilante branco, George Zimmerman, foi absolvido após matar a tiros Trayvon Martin, um adolescente negro que estava desarmado. A decisão judicial gerou revolta em comunidades negras de todo o país. Em 2014, o movimento ganhou força após o assassinato de outro jovem negro, Michael Brown, em Ferguson, Missouri. Mais recentemente, protestos em várias cidades norte-americanas foram registrados após o assassinato de George Floyd, em 25 de maio desse ano.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo