A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falsa certidão de nascimento de Obama registrada no Quênia

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
16.jun.2020 | 20h56 |

Circula nas redes sociais uma foto de uma certidão de nascimento supostamente emitida na “República do Quênia” publicada por Malik Obama, irmão do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. De acordo com a publicação, a certidão comprovaria que Barack não seria norte-americano, mas queniano, o que tornaria ilegal seu mandato na presidência do país, de 2009 a 2017. O conteúdo foi compartilhado, entre outros, por Olavo de Carvalho. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Será finalmente desfeito o mistério Obama? Malik Obama, irmão do ex-presidente, publicou no seu Tweeter esta CERTIDÃO DE NASCIMENTO QUENIANA”
Legenda de publicação no Facebook que, até as 20h30 do dia 16 de junho, tinha sido compartilhada por 530 pessoas 

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Apesar de a publicação original ter sido feita por Malik Obama, irmão de Barack Obama, o documento é forjado e já foi desmentido, nos Estados Unidos, em 2009. A teoria da conspiração de que Obama não seria americano circula nas redes sociais desde 2008, ano em que ele concorreu pela primeira vez à presidência dos Estados Unidos. 

O documento foi forjado a partir de uma certidão de nascimento de origem australiana, de um homem chamado David Jeffrey Bomford, à época disponível em fórum de genealogia. Em 2009, o australiano foi entrevistado pela rádio ABC e confirmou a autenticidade do documento. É possível reparar que todos os elementos visuais são idênticos, assim como o nome do oficial que assina o documento, o livro e a página.

Além de ser idêntico a um documento pertencente a outra pessoa, a certidão de nascimento tem erros factuais. O Quênia passou a usar o nome oficial República do Quênia somente em dezembro de 1964. O documento é datado de 4 de agosto de 1961, quando o país ainda era, oficialmente, o Domínio do Quênia. Além disso, o pai de Obama tinha 25, e não 26 anos quando ele nasceu.

A certidão de nascimento real do ex-presidente, que mostra que ele nasceu em Honolulu, no Havaí, já foi divulgada em diversas ocasiões. Além disso, segundo o site americano de checagem FactCheck.org, o nascimento de Barack foi noticiado em jornais locais de seu estado natal em 1961. 

Processo contra Obama

Essa certidão falsa de nascimento começou a circular em 2009. A advogada Orly Taitz utilizou esse documento forjado como “prova” em um processo em que tentava anular o mandato de Obama. Na época, o site de checagem de fatos Politifact verificou este documento. Contudo, esta teoria da conspiração continuou circulando. Em 2011, 2012, 2013 e 2014  o republicano Donald Trump também tentou resgatar o tema de que Obama teria nascido no Quênia, e não nos Estados Unidos.

Posteriormente, uma segunda certidão falsa, datada de 1964, começou a circular nas redes. Apesar de “corrigir” alguns dos problemas da certidão anterior, a data do documento (fevereiro de 1964) ainda é anterior à transformação do Quênia em república, em dezembro do mesmo ano.

A teoria da conspiração sobre o verdadeiro local de nascimento de Obama foi tamanha que, como sátira, um site foi criado para que o usuário possa criar a própria “certidão de nascimento queniana”.

O tema voltou à pauta neste mês. Em 15 de junho de 2020, Malik Obama, irmão do ex-presidente, publicou foto da mesma certidão falsa averiguada nos anos anteriores. A irmã mais nova de Malik, Auma Obama, disse que o irmão estava “cego de inveja” por tentar desacreditar Barack. 

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo