A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Doria não propôs que vacina contra Covid-19 seja testada em idosos

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
19.jun.2020 | 20h24 |

Circula nas redes sociais que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), teria informado que a vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, vai ser testada em idosos. O texto que circula pelas redes diz ainda que os voluntários vão receber uma quantia para participar do ensaio clínico. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“IDOSOS SERÃO AS COBAIAS. Segundo Dória ele propõem que os aposentados possam ser as cobaias, para vacina chinesa contra o COVID 19”
Texto publicado no Facebook que, até às 18h do dia 19 de junho de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 200 pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não propôs que a vacina Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, seja testada em idosos brasileiros. Analisando a coletiva de imprensa concedida pelo governador e reportagens sobre o ensaio clínico, não foi possível encontrar essa frase atribuída a Doria. A assessoria de imprensa do ex-prefeito afirma que informação que circula pelas redes é falsa. “O Governador João Doria jamais disse a frase”, diz a nota.

O Instituto Butantan, parceiro da empresa chinesa no desenvolvimento da vacina no Brasil, ainda não divulgou as informações sobre o recrutamento de voluntários. Os critérios para a seleção – grupo e faixa etária – estão sendo discutidos com a Sinovac e serão submetidos a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Portanto, não é possível afirmar que a vacina será testada em idosos, ou em qualquer outra faixa etária. 

Na primeira e na segunda fase dos testes clínicos da vacina, feitos na China, a pesquisa foi dividida em dois grupos: um de pessoas entre 18 e 59 anos, com 744 participantes, e outro com pessoas com mais de 60 anos, com 422 voluntários. Os dados são do site Clinical Trials, mantido pela Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos.


“Assim eles os aposentados poderão ter um ganho com os 1.500 pagos pelos chineses”
Texto publicado no Facebook que, até às 18h do dia 19 de junho de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 200 pessoas

FALSO

A legislação brasileira proíbe que voluntários sejam pagos para participar de um estudo ou pesquisa como o desenvolvimento de uma vacina ou medicamento. Esse impedimento consta na Lei nº 9.608, de fevereiro de 1998. Os participantes podem receber apenas o ressarcimento de despesas pessoais com alimentação e transporte. Portanto, é falsa a informação que os voluntários brasileiros que irão testar a vacina da Sinovac irão receber uma quantia por sua participação.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

 

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo