A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que ‘juíza Daniele Moura’, da Emerj, escreveu crítica ao STF

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
19.jun.2020 | 17h21 |

Circula pelas redes sociais um texto atribuído a uma juíza chamada Daniele Moura, supostamente da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj), direcionado ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Na mensagem, ela diz que  os ministros do STF são as maiores ameaças à democracia do país. Também faz críticas a vários dos integrantes da instituição, citando nominalmente os ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“PARABÉNS JUÍZA DANIELE MOURA!

Toffoli afirmou que o próximo presidente terá que respeitar a Constituição!

Gostaria de aplaudir de pé a Juíza Daniele Moura.

Veja o que ela postou!!

Essa é a resposta da Juíza Daniele Moura, da EMERJ, ao Ministro Toffoli:

‘Não Toffoli, é você e seus colegas do STF que constituem a maior ameaça à nossa democracia. (…)'”

Texto em post do Facebook que, até as 14h de 19 de junho de 2020, tinha mais de 9,9 mil compartilhamentos

FALSO

O texto que circula pelas redes sociais não foi escrito por Daniele Moura, da Emerj. Não há nenhum funcionário na instituição com este nome. Também não há nenhuma uma juíza chamada Daniele Moura nos quadros do Poder Judiciário do Rio de Janeiro. O texto circula desde outubro de 2018, mas sua autoria é desconhecida. A pessoa que aparece na foto que ilustra o texto é uma juíza do Mato Grosso do Sul, também com outro nome. As informações analisadas pela Lupa, portanto, são falsas.

O registro mais antigo da mensagem pode ser encontrado em uma página do Facebook chamada O Pai da Lógica, em 22 de outubro de 2018. O texto, que não é assinado por ninguém, é acompanhado de uma reportagem publicada no UOL cujo título é “Atacar o Judiciário é atacar a democracia, diz Toffoli”. Uma semana depois, ele foi publicado no Blog do Alf Cunha!, em 30 de outubro de 2018, mas assinado “pela juíza Daniele Moura, da Emerj”. 

No mesmo dia em que o post saiu no site, a Emerj afirmou, em nota, que não havia nenhuma pessoa chamada Daniele Moura vinculada à instituição como professora, aluna ou colaboradora. A Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj) também esclareceu, em nota oficial, que não existia nenhuma magistrada com esse nome entre os juízes estaduais do Rio.

Além disso, a foto que acompanha a mensagem não mostra uma juíza chamada Daniele Moura, mas Tatiana Dias de Oliveira Said, que atua como juíza titular na Vara Criminal, na área de Infância e Juventude, da comarca de Coxim, no Mato Grosso do Sul. A mesma imagem aparece em uma reportagem de 27 de fevereiro de 2014, quando Said assumiu a diretoria do Foro local, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Mais recentemente, ela foi entrevistada pela Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul (Amamsul) e citou como mulher inspiradora a ministra Carmem Lúcia, do STF.

Uma versão semelhante desse conteúdo foi verificada por Boatos.org e Estadão Verifica.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo