A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Médicos dançando em vídeo não comemoram fim da Covid-19 em hospital de Israel

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
22.jun.2020 | 17h05 |

Circula pelas redes sociais um vídeo que mostra médicos e funcionários de um hospital dançando, com máscaras e outros equipamentos de proteção individual. A gravação mostra os profissionais em diferentes lugares da unidade de saúde, situada em Israel. De acordo com a legenda, trata-se de uma comemoração por não haver mais pacientes com Covid-19 internados. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Em Israel, comemorando ter zerado os pacientes do vírus. Semeie, para que a vibração chegue rápido por aqui”

Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 14h de 22 de junho de 2020, tinha 304 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo foi publicado na página do Facebook do Centro Médico Sourasky de Tel-Aviv, em Israel, em 6 de abril. As imagens não têm relação alguma com uma comemoração por não haver mais nenhum paciente de Covid-19 na unidade de saúde. Trata-se de uma cena gravada pouco antes da Páscoa judaica (Pessach), que celebra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito. “Logo antes do Seder, a equipe médica da emergência alivia a tensão e começa a dançar”, diz a legenda original do vídeo.

O sêder é um jantar cerimonial realizado na primeira noite da Páscoa em Israel – em outros países, essa festividade ocorre nas duas primeiras noites. Os participantes bebem quatro taças de vinho, contam histórias sobre o êxodo do Egito, recitam textos religiosos e comem alimentos e pratos específicos. Tudo isso segue uma ordem ritual pré-estabelecida, que começa a ser seguida logo após o anoitecer. O vídeo do hospital foi criado apenas como uma antecipação a essa cerimônia.

Em maio, a Lupa desmentiu outra história envolvendo um vídeo de médicos e funcionários dançando, gravado em um hospital de Israel. Na época, circulou a informação falsa de que dois hospitais de Jerusalém haviam fechado por não ter mais pacientes de Covid-19. De acordo com o painel de acompanhamento da Organização Mundial de Saúde (OMS), Israel tem 20.652 casos confirmados e 306 mortes desde o início da pandemia. Houve uma queda no número de infectados em maio, mas o número voltou a crescer em junho. Nesta segunda-feira (22), foram registrados 158 casos e uma morte no país. 

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo