A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Divulgação/Band Jornalismo
Foto: Divulgação/Band Jornalismo

#Verificamos: É falso que advogado que hospedava Queiroz seja o mesmo que defendeu Adélio

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.jun.2020 | 17h20 |

Circula pelas redes sociais que o advogado responsável por hospedar Fabrício Queiroz em Atibaia, ex-defensor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), teria sido também responsável por defender Adélio Bispo nas investigações sobre a tentativa de assassinato contra Jair Bolsonaro (sem partido). Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Coincidência né? O advogado amigo da familicia e que escondia Queiróz é o mesmo que defende Adélio Bispo, o homem da fakeada (sic)”
Texto compartilhado no Facebook que, até o dia 23 de junho, tinha sido compartilhada por 7,2 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O advogado Frederick Wassef, que hospedava Fabrício Queiroz e defendia o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), nunca representou Adélio Bispo de Oliveira, preso por tentativa de homicídio contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a campanha eleitoral de 2018. 

Segundo o próprio presidente, Wassef foi seu representante neste caso específico  – ou seja, o exato oposto do que diz o conteúdo analisado. Essa informação, porém, foi negada pela advogada Karina Kufa, que também representa o presidente em outros processos. “O advogado Frederick Wassef não presta qualquer serviço advocatício em nenhuma ação em que seja parte o senhor Jair Messias Bolsonaro”, disse ela, em nota.

Adélio, por sua vez, foi representado por uma série de advogados desde o episódio em que foi preso por esfaquear Jair Bolsonaro, mas nunca por Wassef. O primeiro foi Zanone Manuel de Oliveira Junior, que deixou o cargo em novembro de 2019 por considerar oneroso. Ele compôs uma equipe de defesa com Pedro Augusto de Lima, Fernando Oliveira Magalhães e Marcelo Magalhães. Em outubro daquele ano, Bispo pediu à Justiça para ser representado pela Defensoria Pública da União (DPU), que atualmente defende o agressor.

Queiroz, ex-assessor do filho do presidente, foi preso na manhã de 18 de junho na casa de Wassef, em Atibaia (SP). Ele é acusado de operar a apropriação ilegal de salários de funcionários da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), esquema chamado de “rachadinha”. Após a prisão, Wassef deixou de representar Flávio no caso.

Essa informação também foi verificada pelo projeto Fato ou Fake.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo