A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Fotos de ‘cidadãos comuns’ que conversam com Bolsonaro em propaganda vieram de bancos de imagem

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.jul.2020 | 17h22 |

“Alô Presidente”, pergunta uma mulher identificada como Dona Maria Eulina. “Eu queria saber como está o projeto de transposição do Rio São Francisco aqui no Ceará”, conclui. Assim começa uma propaganda do governo federal compartilhada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na manhã desta quarta-feira (1º), em sua conta pessoal no Twitter. A peça mostra o presidente respondendo, supostamente, perguntas feitas por cidadãos comuns do Nordeste. Porém, as fotos das pessoas mostradas no vídeo são modelos de bancos de imagens, e não pessoas reais. 

Na propaganda, duas pessoas supostamente comuns conversam com Bolsonaro pelo telefone, e fazem perguntas sobre obras do governo federal na região Nordeste. Em uma busca reversa pelo aplicativo TinEye, é possível identificar que as fotos dos supostos participantes que conversam com o presidente no vídeo são, na verdade, conteúdos disponíveis para compra em bancos de imagens. 

A foto de Dona Maria Eulina, a primeira pessoa a questionar o presidente, não é de uma moradora real do Ceará. A foto original foi tirada pelo fotógrafo Mailson Pignata e publicada no site IStockPhoto, no dia 05 de março de 2019, com o título “Mulher idosa feliz que sorri feliz na idade adulta”. Ela também aparece em outros sites de venda de imagens, com o Adobe Stock e o DreamsTime. É possível, inclusive, encontrar mais fotos da mesma modelo em outras posições.

O mesmo acontece com o outro participante do anúncio. O suposto morador de Parnamirim (RN), Francisco Valmar, que pergunta sobre “trens urbanos” a Bolsonaro também é modelo fotográfico. A foto usada aparece à venda no site Shutterstock e foi tirada pelo fotógrafo Gustavo Frazão, com o título “Retrato de trabalhador de fábrica em segundo plano”. A mesma pessoa é também modelo em outras imagens que são disponibilizadas com os nomes “trabalhador brasileiro tira selfie”, “trabalhador dançando e se divertindo depois do trabalho” e até “homem idoso dança samba”.

A mesma imagem, que também aparece no IStock, também foi comprada e utilizada pelo site escocês LocalCouncillor, onde o modelo estaria representando um “conselheiro local”. 

A reprodução de fotos de bancos de imagem é uma prática comum na publicidade. No entanto, a propaganda veiculada nesta quarta dá a entender que “Maria” e “Francisco” são, de fato, moradores dos estados em um diálogo com o presidente. 

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) disse que, embora tenha sido compartilhada pelo presidente, o vídeo era “uma peça piloto inacabada” e não tem “caráter oficial”. “De todo modo, a fim de sanar qualquer tipo de distorção dos fatos, o vídeo foi retirado do ar”, conclui.

Atualização às 12h do dia 2 de julho de 2020: Reportagem atualizada para incluir manifestação do governo federal.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo