A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É de 2017 foto de ‘voluntário de vacina chinesa’ que teria sofrido efeitos colaterais

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
28.jul.2020 | 15h47 |

Circula nas redes sociais uma foto de um jovem com o rosto inchado. De acordo a legenda, ele teria sofrido uma reação alérgica após tomar a Coronavac, vacina que está sendo desenvolvida contra a Covid-19 pela empresa chinesa Sinovac Biotech e testada no Brasil. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

VACINA CHINESA CAUSA REAÇÃO NO TESTE
Enfermeiro voluntário posta como ele ficou após tomar a primeira dose da vacina chinesa”
Imagem publicada no Facebook que, até as 15h30 do dia 28 de julho, tinha sido compartilhado por 636 pessoas.

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A foto foi publicada em 2017 e mostra Andrew Seely, um estudante da Universidade Central de Michigan, nos Estados Unidos, vítima de um trote. Na ocasião, veteranos esfregaram amendoim, alimento ao qual o jovem é alérgico, no seu rosto. As fotos podem ser vistas em diversas reportagens publicadas nos Estados Unidos (aqui, aqui e aqui) naquele ano. Portanto, ela não tem qualquer relação com testes de vacinas contra a Covid-19 que estão sendo realizados em 2020.

A foto foi tirada em outubro de 2016 e divulgada na imprensa no começo de 2017. Na ocasião um calouro da Universidade Central de Michigan, Andrew Seely, estava dormindo quando outros jovens passaram manteiga de amendoim em seu rosto. Contudo, segundo a família da vítima, Andrew é extremamente alérgico a amendoim, o que causou a reação imediata registrada nas imagens. 

À época, a família de Andrew informou que prestaria queixa à polícia em relação ao ocorrido. A universidade também entendeu que a questão poderia ser tratada criminalmente. Dada a gravidade de sua alergia, Andrew carregava doses de adrenalina injetável para situações de emergência. Contudo, não teve tempo de utilizá-las, pois não estava acordado quando a brincadeira aconteceu. Um dos agressores afirmou que não sabia do problema de saúde de Andrew.

Vacina contra Covid-19 

A Coronavac, produzida pela Sinovac Biotech, iniciou os testes no Brasil em 21 de julho, em uma parceria com o Instituto Butantan, vinculado ao governo de São Paulo. Nove mil profissionais da saúde devem passar pela imunização nos próximos meses.

Na última segunda-feira (27) outra peça de desinformação sobre supostos efeitos colaterais da Coronavac foi checada pela Lupa.

Esta informação também foi checada pelo Estadão Verifica.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo