A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Brasil e África ainda mais conectados: LupaEducação capacita jovens checadores na Guiné-Bissau

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.ago.2020 | 21h08 |

Na última terça-feira (04), o programa LupaEducação realizou uma oficina especial para treinar um grupo de checadores da Guiné-Bissau. A iniciativa ocorreu após os integrantes do Geba News, agência de checagem que surgiu durante a pandemia do novo coronavírus, querer aprender mais sobre checagem para atuar com mais ênfase no combate à desinformação no país. Com olhos atentos à política e à sociedade brasileira, esses jornalistas viram no trabalho da Lupa um exemplo a ser seguido para a construção da primeira agência de notícias guineense.

A origem do nome é uma referência ao Geba, um dos maiores rios da Guiné-Bissau que nasce no Leste e deságua no Oceano Atlântico. E revela as pretensões desses jovens, a maioria universitários, em levar informação verificada ao maior número de cidadãos.  A população do país é de mais de 1,800 milhão de habitantes, segundo dados do Banco Mundial (2018).

“A oficina online de checagem Lupa ministrada aos jornalistas da Agência Geba News é uma prova inequívoca que os nossos colegas do Brasil estão com os braços abertos para nos apoiar na difícil tarefa de combater cafumbam – termo usado para fake news no país –  que circulam imunes sem qualquer tentativa de checagem da sua veracidade aqui na Guiné-Bissau”, afirma Antônio Nhaga, diretor geral da Agência Geba News. 

Cerca de dez alunos da Universidade Lusófona da Guiné (ULG), integrantes da iniciativa jornalística junto com os seus professores, participaram da oficina ministrada pelo repórter e professor do LupaEducação, Raphael Kapa. Eles contaram que resolveram fazer checagens ao perceberem o número de mentiras que circulavam pelas redes sociais sobre a Covid-19 e, por isso, entraram em contato com a Lupa a terem como inspiração.

É interessante participar de um encontro como esse, pois quando a Lupa foi fundada tivemos muito apoio de checadores internacionais que já eram experientes. Essa troca é fundamental já que a desinformação não é um problema de um único território, ainda mais se tratando de um país da África, berço da nossa cultura e sociedade – diz Douglas Silveira, diretor de Educação da Lupa.

Editado por: Douglas Silveira

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo