A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Porto Feliz não teve mortes por Covid-19 após adotar protocolo com hidroxicloroquina

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
11.ago.2020 | 19h24 |

Circula pelas redes sociais que o município de Porto Feliz, em São Paulo, não teria registrado óbitos por Covid-19. Segundo o post compartilhado no Facebook, isso teria acontecido porque a cidade utilizou hidroxicloroquina para tratar os pacientes do novo coronavírus. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Porto Feliz tem 125 mil Habitantes, Até agora nenhum paciente foi entubado, não perdeu uma única vida, pois o Prefeito é médico, uso da Hidroxicloroquina é obrigatório quando aparecem os sintomas, mesmo antes do resultado dos Exames. Sò faltava a mídia publicar isso”
Texto em imagem publicada no Facebook que, até às 19h do dia 11 de agosto de 2020, tinha sido compartilhado mais de 1,1 mil pessoas 

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O boletim epidemiológico da prefeitura de Porto Feliz (SP) mostra que 11 pessoas morreram de Covid-19 no município até esta terça-feira (11). Segundo a prefeitura, 966 habitantes foram contaminadas pelo novo coronavírus e que outras 175 ainda esperam o diagnóstico. O boletim não tem dados de pacientes “entubados”, porém é possível ver que, atualmente, quatro pessoas – três casos confirmados e um suspeita – estão internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Já dados do governo de São Paulo mostram 12 mortes na cidade, mas apenas 781 casos.

Ao contrário do que diz a publicação, Porto Feliz tem somente 53.098 habitantes, segundo a estimativa mais recente do IBGE. Considerando os dados do governo do estado, a taxa de mortalidade por Covid-19 foi de 226 por milhão de habitantes, o que representa cerca de metade da taxa média do estado. Apesar de estar abaixo da média, o número não é extraordinário. Na comparação com municípios limítrofes de porte semelhante, Porto Feliz perdeu menos habitantes que Boituva (14), mas está em situação pior que Tietê (8) e Capivari (3).

Kit covid

No início da pandemia, a prefeitura de Porto Feliz adotou um protocolo utilizando hidroxicloroquina para tratar pacientes de Covid-19. Em maio, uma reportagem do UOL mostrou que o município gastou R$ 100 mil em um ‘kit covid’. Na época, o médico e prefeito da cidade, Antônio Cássio Habice Prado (PTB), disse que esses medicamentos deveriam ser utilizados na fase inicial da doença, nos primeiros cinco ou seis dias. 

Em live com o jornalista Alexandre Garcia e profissionais de saúde, o prefeito disse que o protocolo adotado é uma “experiência de sucesso” e que o município está conseguindo controlar a doença. Contudo, como explicado acima, o número de mortes no município não é extraordinário quando comparamos com cidades próximas e de porte semelhante.

Durante a live, Habice disse que todos os infectados que foram tratados precocemente não evoluíram em casos graves da Covid-19. “Os três óbitos que nós tivemos até hoje são de pacientes que não fizeram o tratamento precoce”, disse. Contudo, não é possível verificar essa informação.

Os medicamentos defendidos pelo prefeito não tem eficácia comprovada. Há estudos clínicos randomizados e duplo-cegos que comprovaram que a hidroxicloroquina não é eficaz no tratamento da Covid-19 nem no início da doença, nem em casos mais graves. Outro estudo mostrou que a droga tampouco funciona como profilático

Essa informação também foi verificada pelo Estadão Verifica, Aos FatosFato ou Fake e Boatos.org.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo