A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Ataques à Agência Lupa misturam desinformação e homofobia

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
20.ago.2020 | 17h42 |

Nos últimos dias, checadores de fatos de ao menos duas plataformas atuantes no Brasil alertaram a redação da Agência Lupa a respeito de publicações que circulam no Facebook, no Twitter e no WhatsApp com informações falsas sobre a nossa empresa, nossa fundação e nosso funcionamento. 

As postagens têm teor homofóbico e informações falsas. Incluem uma fotografia do nosso diretor de estratégia e negócios, Gilberto Scofield Jr., ao lado de seu marido, Rodrigo de Mello. Atribuem a fundação da Lupa aos dois e afirmam que a agência censura conteúdos publicados por conservadores de direita.

A Lupa repudia esses posts e esclarece que:

– Gilberto Scofield Jr. e seu marido, Rodrigo de Mello, não são fundadores da Agência Lupa. A empresa foi fundada pela jornalista Cristina Tardáguila e começou a operar em novembro de 2015. Scofield Jr. assumiu o posto de diretor de negócios e estratégia em fevereiro de 2019. Mello é corretor de imóveis e não tem qualquer relação com a Lupa.

– A Agência Lupa não censura posts no Facebook ou em qualquer outro meio digital. A Lupa checa o grau de veracidade de conteúdos postados no Facebook e repassa à plataforma um link com a checagem feita. As verificações são realizadas a partir das denúncias dos próprios usuários da rede social. O mesmo procedimento é feito por Aos Fatos, Estadão Verifica e AFP Checamos, membros verificados da International Fact-Checking Network (IFCN) no Brasil – parceiros do Facebook no Programa de Verificação de Notícias, lançado no país em maio de 2018.

– A Lupa não é responsável por ações tomadas pelo Facebook a partir de suas verificações. O que acontece a partir do envio do link que contém a checagem é de responsabilidade exclusiva do Facebook.

– Todas as checagens da Lupa seguem a mesma metodologia de trabalho – certificada anualmente pela IFCN. As verificações se baseiam em bancos de dados oficiais públicos, em documentos, leis e estudos científicos. Todas as checagens podem ser refeitas por quem as lê. Quem checa a Lupa é seu leitor. A Lupa tem uma política de correção pública clara, também auditada anualmente pela IFCN. Se cometer um erro, é obrigada a se retratar e o faz. Aqui você encontra mais informações sobre a metodologia.

– A Lupa não é da Folha, do UOL nem da revista piauí. Não é do governo ou da oposição. Não checa somente conteúdos conservadores ou de direita nem progressistas ou de esquerda. Em seus cinco anos de vida, a Lupa seguiu à risca o equilíbrio e o apartidarismo – também comprovados pelas auditorias da IFCN. 

– A Lupa foi a primeira plataforma de fact-checking a integrar o Trust Project, conhecido no Brasil como projeto Credibilidade. A Lupa segue princípios rígidos de transparência e todos seus jornalistas são conhecidos e podem ser contatados pelos canais disponibilizados no site da agência.

– Por fim, também é importante ressaltar que a jornalista Cristina Tardáguila está licenciada da Lupa desde maio de 2019. Ela ocupa o cargo de diretora-adjunta da IFCN e não tem voz nem nas decisões diárias da agência nem no processo de auditoria dos fact-checkers brasileiros. Mais informações sobre as auditorias feitas pela IFCN em todo o mundo estão disponíveis aqui

São comuns os ataques a checadores de fatos. Isso ocorre em todo o mundo. Alguns desses ataques, no entanto, cruzam o limite do aceitável. A Agência Lupa é plural e rechaça preconceitos. Posts contendo acusações infundadas a qualquer membro da Lupa serão armazenados e enviados ao departamento jurídico da empresa.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo