A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Vídeo de criminosos armados no Rio de Janeiro é ficcional e não tem relação com ‘proibição do STF’

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.ago.2020 | 18h50 |

Circula pelas redes sociais um vídeo com um grupo de criminosos fortemente armados descendo um morro em uma comunidade no Rio de Janeiro. Ao dobrar uma esquina, os bandidos apontam suas pistolas e fuzis para dois policiais que estão ao lado de uma viatura e não esboçam reação. O bando prossegue sem ser incomodado. Várias pessoas filmam a cena com seus celulares. Segundo a legenda, esse é o resultado da proibição do Supremo Tribunal Federal (STF) para que a polícia não suba os morros do Rio. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Resultado da proibição do STF para a polícia não subir aos morros do Rio de Janeiro”

Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 15h30 de 21 de agosto de 2020, tinha 364 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo que circula pelo Facebook mostra a gravação de uma cena do filme Rocinha: toda história tem dois lados na última quarta-feira (19). “Lançaram uma fake news falando do filme”, afirmou, por telefone, Bruno Sheven, dono da produtora independente BS Produções, responsável pelo longa-metragem. Algumas pessoas que filmaram a cena pelo celular começaram a compartilhar vídeos como se fossem o registro de um acontecimento real, em que criminosos intimidam a polícia. 

O longa-metragem começou a ser gravado no início do ano, antes da pandemia. De acordo com Sheven, a BS Produções retomou as filmagens na última quarta-feira e o trabalho deve continuar pelas próximas semanas. Ele explicou à Lupa o contexto da cena que viralizou. “Os bandidos querem conversar com os policiais para dizer que não é com eles que têm um problema, mas com outra facção criminosa”, disse. 

Outras imagens de Rocinha aparecem no perfil da BS Produções no Instagram e em publicações feitas por participantes do longa-metragem, como o ator Peter Brandão. A estreia do filme está prevista para o ano que vem, nos cinemas.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Polícia Militar do Rio de Janeiro também afirmou, em nota, que se trata de uma produção artística. “O material audiovisual em questão faz parte da gravação de um filme, tendo sido gravado na quarta-feira (19/08), na comunidade da Rocinha”, diz o texto.

Restrições

A “proibição do STF para a polícia não subir morros do Rio de Janeiro”, citada no post que circula pelo Facebook, resulta de uma decisão liminar tomada pelo ministro Edson Fachin, em 5 de junho, e confirmada em 4 de agosto pelo plenário do tribunal. A corte determinou a suspensão das operações policiais em comunidades do Rio durante a pandemia da Covid-19, em resposta a uma ação ajuizada em novembro pelo PSB (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 635). O partido pediu a garantia dos direitos dos moradores dessas áreas, que estariam sendo violados pela política de segurança pública do governador Wilson Witzel (PSC).

Com a decisão do STF, operações policiais podem ser realizadas apenas em casos excepcionais e precisam ter acompanhamento do Ministério Público Estadual, que deve ser informado sobre essas ações. Na última segunda-feira (17), o tribunal determinou outras proibições. Está restrito o uso de helicópteros, que só podem ser empregados se houver justificativa; os agentes de segurança devem preservar vestígios de crimes; fotos e laudos de necropsia devem estar anexados às investigações; e escolas e hospitais não podem servir de base operacional para as Polícias Civil e Militar.

Um versão semelhante dessa checagem foi feita por Fato ou Fake, Aos Fatos e Boatos.org

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo