Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que prefeito mandou tirar bomba d’água de poço inaugurado por Bolsonaro no RN

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.set.2020 | 18h42 |

Circula nas redes sociais um post que diz que o prefeito de Ipanguaçu (RN), Valderedo Bertoldo (PSDB), mandou retirar a bomba do poço da comunidade local da cidade, deixando os moradores sem água. Isso ocorreu, segundo a publicação, após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participar de uma solenidade de perfuração de poço para levar água à região. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“BOLSONARO SAIU DEIXOU O POÇO FUNCIONANDO O PREFEITO MANDOU TIRAR A BOMBA E DEIXAR A COMUNIDADE SEM ÁGUA”
Imagem publicada no Facebook que, até as 15h do dia 03 de setembro de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 6,1 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Em 21 de agosto, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) inaugurou um poço no município de Ipanguaçu (RN). Três dias depois, a bomba foi instalada pela prefeitura do município. Ou seja, a bomba não foi retirada após a visita, e sim instalada. De acordo com a prefeitura, essa espera ocorreu pela necessidade de análise da qualidade da água após a perfuração.

Em nota, o MDR informou que a bomba responsável para garantir o abastecimento das residências da Comunidade Angélica foi adquirida pela prefeitura de Ipanguaçu e instalada na segunda-feira (24). A pasta diz ainda que a retirada do caminhão que perfurou o poço foi finalizada no sábado pela manhã (22) e na segunda-feira (24) a bomba já estava instalada, “conforme planejado no cronograma estabelecido para o empreendimento em conjunto com o Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas)”.

Ao portal Agora RN, a prefeitura de Ipanguaçu explicou que, quando um poço é construído, ele tem que passar por algumas análises, para avaliar a pureza da água. “Durante o processo de construção, são usados materiais como argila, graxa, óleo hidráulico, além do manuseio das ferramentas. Esses resíduos ficam ali por um período”. Por isso, a instalação da bomba não podia ser feita imediatamente.

A informação foi confirmada pelo secretário de Obras e Serviços Urbanos de Ipanguaçu, Jaíres Azevedo, por meio de um áudio enviado pelo WhatsApp. Na mensagem, Azevedo diz que a bomba foi instalada na segunda-feira (24), depois das 16h, após o Dnocs liberar a ação. O secretário também afirma que no local não havia nenhuma bomba. “Essa foi a primeira a ser instalada na comunidade”, ressalta. O equipamento foi comprado pela prefeitura e instalado por uma empresa terceirizada.

Azevedo diz ainda que a comunidade já recebe a água nas torneiras, após limpeza do poço e análise dos testes da água. A informação foi confirmada pelo MDR. “Em nenhum momento, entre a perfuração e a finalização do cronograma previsto para a ligação da água aos encanamentos, os moradores da comunidade ficaram desabastecidos”, diz a nota do ministério.

O deputado federal General Girão (PSL-RN) publicou um tuíte em 30 de agosto com um vídeo de uma visita que fez à comunidade. No registro, exibe as imagens da bomba funcionando.

Em 21 de agosto, o presidente Jair Bolsonaro visitou o município para entrega de sistemas de dessalinização para áreas rurais no Rio Grande do Norte. Os poços de Ipanguaçu fazem parte de um total de 138 unidades contratadas para o estado, entre 2019 e 2020, com um investimento de R$ 5,3 milhões, segundo o MDR. O recurso vem de emendas da bancada do estado no Congresso Nacional.

Informação similar foi checada por Aos Fatos e Estadão Verifica.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo