A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Miriam Leitão recebeu ‘bolsa ditadura’ de R$ 27 mil

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.set.2020 | 13h29 |

Circula pelas redes sociais que a jornalista Miriam Leitão recebia uma “bolsa ditadura” no valor de R$ 27 mil. Segundo a publicação, ela e outras 2.200 pessoas tiveram o benefício cortado pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Miriam Leitão teve seu benefício de R$ 27.000,00 cortado pela ministra Damares. Fim do bolsa ditadura pra ex-guerrilheira e mais 2.200 vagabundos”
Texto em imagem publicada no Facebook que, até às 12h do dia 21 de setembro de 2020, tinha mais de 4,2 mil compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Apesar de ter sido presa e torturada durante a ditadura, a jornalista Miriam Leitão não foi indenizada por isso. Na consulta individual de requerimentos para obter indenização, não há nenhum registro em nome da jornalista. Portanto, ela não recebe “benefício de R$ 27 mil”. A Lei 10.559/2002 autoriza reparação para anistiados políticos.

Em junho de 2020, mais de 170 pedidos de anistia foram negados após serem analisados pela Comissão. O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos confirmou, em nota via assessoria de imprensa, que nenhum desses pedidos partiu da jornalista.

Entre dezembro de 1972 e fevereiro de 1973, Miriam foi presa e torturada no 38º Batalhão de Infantaria do Exército, no Espírito Santo. Ela era militante do PCdoB na época, tinha 19 anos e estava grávida do primeiro filho. Em relato ao jornal O Globo, ela contou que foi trancada por militares em uma sala escura com uma jiboia. 

Em 2019, uma publicação falsa sobre a jornalista, sobre um suposto assalto a banco em 1968, também foi verificado pela Lupa.

Esse conteúdo também foi checado pelo Estadão Verifica e Aos Fatos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo