A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

FactCheckLab: Lupa premia jornalistas em programa que promove iniciativas de combate à desinformação

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.out.2020 | 11h00 |

A Lupa anunciou nesta quinta-feira (1.out.20) os cinco vencedores do programa FactCheckLab, uma iniciativa da agência em parceria com a Embaixada e os Consulados dos Estados Unidos no Brasil. No projeto, jornalistas das cinco regiões apresentaram propostas de iniciativas para combater a desinformação em suas cidades e estados, observando os problemas locais. Alice Martins, Caroline Macário, Gracielly Machado, Ítalo Rômany e Thayz Guimarães foram os jornalistas que se destacaram.

O FactCheckLab capacitou 93 jornalistas em técnicas de checagem e produção de conteúdo jornalístico, incentivando os participantes a usarem a criatividade ao propor formatos de disseminação de conteúdos verdadeiros. O resultado se reflete nos projetos-destaque (veja abaixo), que envolvem desde podcasts e vídeos até lambe-lambes pelas ruas do Rio de Janeiro e literatura de Cordel. 

“Muitas vezes, as pessoas se engajam com a desinformação porque ela vem de forma atrativa ou gera identidade. Por qual motivo a verdade também não pode vir dessa maneira? Os projetos mostram que isso é possível”, afirma Douglas Silveira, diretor de Educação da Lupa e coordenador do programa.

O FactCheckLab contou com mais de 470 inscrições de jornalistas e estudantes de todo o país. Os participantes passaram por 30 horas de treinamentos online até a entrega do projeto final de produção de conteúdo, com uso do fact-checking como forma de resolver um problema local em suas respectivas regiões. 

“Identificar e frear a disseminação da desinformação é um desafio urgente. Parabenizamos os vencedores pelo trabalho árduo e pela criatividade. Estamos confiantes de que suas iniciativas terão um impacto positivo em suas comunidades”, diz Sarah Saperstein, adida de Imprensa do Consulado dos EUA no Rio de Janeiro.

Veja os cinco jornalistas vencedores:

Região Norte
Alice Martins (Belém/PA)
Projeto: Papo de Vacina 

Esclarecendo mitos sobre a vacinação contra o sarampo e outras doenças infecciosas agudas, aborda a educação midiática em vídeos, com foco em crianças e adolescentes.

Região Nordeste
Ítalo Rômany (João Pessoa/PB)
Projeto: BodeFact – Checagem de Notícias 

Agência de checagem local com foco na política da Paraíba e conteúdos em formato de literatura de Cordel. Com isso, os discursos podem ir de “Arretado de Bom” (verdadeiro) até “Oxente” (falso), e, em redes sociais, os cards seguem as rimas dessa literatura regional.

Região Centro-Oeste
Gracielly Machado (Brasília/DF)
Projeto: Conhecimento é Vacina para a Desinformação 

Oficinas para jovens na capital federal, com produção de conteúdo inicial em saúde e foco na distribuição via WhatsApp.

Região Sudeste
Thayz Guimarães (Rio de Janeiro/RJ)
Projeto: Passando Check: um podcast contra a desinformação em pautas LGBT+ 

Podcast sobre informações falsas envolvendo a comunidade LGBT+ e parcerias com grupos que repliquem os conteúdos abordados no programa em lambe-lambes e projeções em prédios na cidade do Rio de Janeiro.

Região Sul
Caroline Macário (Florianópolis/SC)
Projeto: Gulliver – Cultura e Narrativas 

Oficinas de checagem com foco em minorias, que se desdobram em produção de conteúdo sobre as histórias não contadas da cidade, dando voz a grupos que fazem parte da construção da Ilha da Magia, mas são historicamente marginalizados.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo