Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Inflamação no lábio de menina em foto viral não foi causada por saliva de cachorro

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
02.out.2020 | 20h45 |

Circulam pelas redes sociais fotos de uma grave infecção na região da boca, supostamente provocada por uma bactéria transmitida pela saliva de um cachorro. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Bom dia,
Essa bactéria foi transmitida pela saliva do cachorro, olha o perigo q corre quando vc deixa o cachorro lamber sua boca
Texto publicado no Facebook que, até às 14h30 do dia 02 de outubro de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 7,9 mil pessoas.

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. As fotos originais foram publicadas no dia 26 de julho pela médica americana Nicole Angemi, que usa seu Instagram para publicar fotos de patologia gráfica e autópsias de órgãos humanos, tendo mais de 1,9 milhão de seguidores.

De acordo com ela, trata-se de uma paciente que foi diagnosticada com uma grave infecção pela bactéria estafilococos. “Esta paciente começou a notar algo estranho em seu lábio e como tinha um histórico de acne cística, achou que fosse uma espinha inflamada”, declarou Angemi na publicação. 

Ainda segundo o relato, a paciente passou por alguns diagnósticos errados antes de ter a infecção identificada e tratada com antibióticos. “Em três dias o inchaço começou a diminuir”, explicou a médica. 

“Esse tipo de informação só traz problemas aos animais. Essa bactéria (estafilococos) está no corpo de qualquer indivíduo e é muito mais frequente em pessoas do que neles. Pode ter certeza que a culpa não é dos animais”, disse Marcelo Otsuka, infectologista e coordenador do Comitê de Infectologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), por telefone. 

De acordo com ele, é necessário um tripé para que ocorra o processo infeccioso. “Primeiro o indivíduo com algum problema prévio, depois um ambiente propício e por fim o agente infeccioso”, ponderou Marcelo.

Para o infectologista, a partir do relato de Angemi, é possível dizer que a acne foi a provável ferida que permitiu a infecção provocada pela estafilococos. “Essa inclusive é uma bactéria que pode provocar doenças graves, como pneumonia e infecções generalizadas”, afirmou.

Nota: esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo