A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

#Verificamos: Doria não disse que quem não tomar vacina contra Covid-19 pode contaminar os já vacinados

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
19.out.2020 | 18h10 |

Circula nas redes sociais um post que atribui ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a seguinte fala: “Não vou permitir que aqueles que não tomem a vacina [da CoronaVac] passem corona para os que tomaram”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Não vou permitir que aqueles que não tomem a vacina [da CoronaVac] passem corona para os que tomaram – Dória”
Legenda de imagem publicada no Facebook que, até as 16h do dia 19 de outubro de 2020, tinha mais de 610 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não há registros na imprensa ou nas redes sociais do governador João Doria (Twitter, Facebook e Instagram) da fala mencionada no post. Em nota, a assessoria de imprensa do governo de São Paulo disse que a informação era falsa.

Na sexta-feira (16), durante coletiva de imprensa, Doria disse o seguinte: “Garanti que aqui os 45 milhões de brasileiros em São Paulo serão vacinados. Em São Paulo a vacinação será obrigatória, exceto se o habitante tiver orientação médica e um atestado médico de que não pode tomar a vacina. Adotaremos as medidas legais se houver alguma contrariedade neste sentido. Não é possível imaginar numa pandemia vacinar alguns e não vacinar outros. Enquanto nós tivermos pessoas não vacinadas em larga escala, continuaremos tendo a presença do vírus, contaminação e morte”. Em nenhum momento da coletiva o governador citou a frase que circula no post.

Um estudo publicado em agosto no periódico científico American Journal of Preventive Medicine (AJPM) indicou que, se 75% da população for vacinada, o imunizante deve ter eficácia de ao menos 80% para acabar com a pandemia e de 70% para prevenir uma nova onda de contágio em locais já controlados. Os pesquisadores do estudo também alertam que, mesmo com vacinas contra a Covid-19 disponíveis, até que se saiba mais sobre sua eficácia, governantes e população não devem relaxar as demais medidas de proteção, como o distanciamento social e uso de máscara.

Resultado de testes

O governo de São Paulo divulgou nesta segunda-feira (19) que os estudos clínicos feitos com 9 mil voluntários no país mostraram que 35% tiveram reações adversas leves após a aplicação da vacina CoronaVac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac, como dor no local da aplicação ou dor de cabeça. Não há nenhum relato de reação adversa grave à vacina até o momento, diz o governo.

Até dezembro, o Instituto Butantan, que produzirá a vacina aqui no Brasil, receberá 46 milhões de doses da CoronaVac, sendo 6 milhões de doses do imunizante já prontas para aplicação. Outras 15 milhões de doses devem chegar até fevereiro de 2021.

Verificação similar foi feita pelo Aos Fatos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo