A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Maceió: Davi Filho defende proposta que não está em seu programa de governo

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
26.out.2020 | 10h00 |

O candidato à prefeitura de Maceió Davi Davino Filho (Progressistas) ocupa a terceira posição na pesquisa de intenção de voto divulgada pelo Ibope em 23 de outubro de 2020 sobre a corrida eleitoral. Em sua campanha, tem participado de entrevistas e divulgado propostas em suas redes sociais. A Lupa analisou algumas de suas falas. A checagem faz parte do projeto Democracia Digital, no qual jornalistas de todas as capitais do Brasil verificam discursos dos quatro candidatos melhores colocados nas pesquisas de intenção de voto em 2020.

Cícero Almeida (DC), JHC (PSB) e Alfredo Gaspar (MDB) — quarto, segundo e primeiro em intenções de voto na mesma pesquisa — também tiveram falas analisadas, e o resultado dessas verificações será publicado nos dias 28 de outubro, 2 de novembro e 4 de novembro, respectivamente.

Confira o grau de veracidade do que disse Davi Filho:

“No plano de governo, o que a gente colocou foi criar um programa Creche Para Todos que a gente vai criar 10 mil novas vagas de creche e pré-escola”
Davi Davino Filho (PP), candidato a prefeito de Maceió, em entrevista para a TV Mar, em 19 de outubro de 2020

FALSO

A proposta de governo de Davi Filho registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não menciona o programa Creche Para Todos, nem a quantidade de crianças que seriam atendidas por ele. As palavras creche e pré-escola aparecem, apenas, uma vez no documento, na parte correspondente à inclusão social e cidadania. O texto fala em dar prioridade para vagas em creches e pré-escola.

O plano de governo é um documento que os candidatos a prefeito enviam ao TSE, com as principais atividades e projetos que pretendem executar durante o mandato.

Procurada, a assessoria de Davi Davino Filho afirmou que o candidato não falou sobre o programa porque “plano de Governo nenhum é detalhado. Pelo menos, nenhum que é entregue no dia do registro”.


“Como deputado, [Davi Davino Filho] destinou 200 mil cestas básicas para a população mais carente durante a pandemia”
Davi Davino Filho (PP), candidato a prefeito de Maceió, em post no Instagram, em 17 de outubro de 2020

VERDADEIRO, MAS

O Diário Oficial da Assembleia Legislativa de Alagoas do dia 23 de março de 2020 registra o requerimento nº 01/2020, de autoria do deputado Davi Davino Filho, que pede que o governo do estado use o Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep) para a criação de um programa direcionado às famílias de extrema pobreza. O governo, de fato, usou os R$ 13,2 milhões desse fundo para distribuir 200 mil cestas básicas para famílias em extrema pobreza durante a pandemia de Covid-19.

Mas Davi Filho não foi a único a fazer essa solicitação. O DO mostra que a deputada Jó Pereira (MDB) apresentou o requerimento nº 02/2020, com o mesmo pedido.


“[Davi Davino Filho] Criou a Lei da Merenda Especial”
Davi Davino Filho (PP), candidato a prefeito de Maceió, em post no Instagram, publicado em 17 de outubro de 2020

VERDADEIRO

Como deputado estadual, o candidato foi autor do Projeto de Lei nº 151/2015 que modificou a Lei nº 7626, de 27 de maio de 2014. Com a mudança, os portadores de intolerância a lactose, dislipidemia, fenilcetonúria, hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardíaca e outras patologias passaram a ter direito à merenda especial. Os responsáveis pelos alunos devem encaminhar para a unidade de ensino correspondente o atestado médico com a solicitação da dieta diferenciada. A nutricionista responsável pela instituição deverá orientar os gestores, elaborar o cardápio e fiscalizar a execução das atividades.


“(…) a Prefeitura e o Governo tenham ficado de braços cruzados diante dessa tragédia [no Bebedouro, Bom Parto, Mutange e Pinheiro]”
Davi Davino Filho (PP), candidato a prefeito de Maceió, em seu sexto guia eleitoral, no Instagram, em 15 de outubro de 2020

FALSO

Desde o aparecimento de rachaduras e instabilidades no solo nos bairros Bebedouro, Bom Parto, Mutange e Pinheiro, a Prefeitura de Maceió e o Ministério Público de Alagoas cobram da Braskem ações reparadoras para a população dos bairros afetados. Os danos estão relacionados à extração de sal-gema, atividade empreendida pela petroquímica Braskem na região, encerrada em novembro de 2019.

A mineradora e a prefeitura e o Ministério Público vem firmando termos de cooperação nos últimos anos. Portanto, apesar da não conclusão de todos os acordos, as instituições têm realizado ações para minimizar os impactos da extração de sal-gema

Procurada, a assessoria do candidato disse que a informação está evidenciada “nos depoimentos de 42 mil pessoas afetadas”.

Nota da redação: O projeto Democracia Digital é uma iniciativa da Lupa, do Instituto de Tecnologia & Equidade (IT&E) e do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, com apoio do WhastApp e dos Tribunais Regionais Eleitorais de todo o Brasil. As checagens produzidas são distribuídas gratuitamente a rádios universitárias do país, com apoio do Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP).

Editado por: Marcela Duarte e Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo