A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que bancada evangélica pretende excluir ‘não roubarás’ da Bíblia

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
09.nov.2020 | 21h03 |

Circula pelas redes sociais uma imagem de parlamentares na Câmara dos Deputados – entre eles João Campos (Republicanos-GO) e Marco Maia (PT-RS), que presidiu a Casa de 2011 a 2013 – em um culto evangélico. O texto inserido na foto traz a informação de que a bancada evangélica pretende excluir da Bíblia o mandamento que diz “não roubarás”. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação:

“Bancada evangélica apresenta projeto para excluir da bíblia mandamento que diz, ‘não roubarás’”

Texto de imagem que circula pelo WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Uma busca na área de propostas legislativas da Câmara mostra que não há registro de nenhuma proposição tramitando na Casa que defenda a eliminação do mandamento da Bíblia. Também não aparece nenhum texto arquivado no passado com esse teor.

A única iniciativa que faz menção ao “não roubarás” é o Projeto de Lei nº 6.224/2019, do deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE). A proposta prevê uma mudança do Código Penal para que condenados por latrocínio, estupro ou outros crimes contra a mulher cumpram a pena em regime fechado. O texto menciona o mandamento “não roubarás” em sua justificativa, em um exemplo de como ocorre a desobediência de uma regra. “Se a regra é ‘não roubarás’ e o indivíduo roubar, a regra está violada”, explica.

A foto original não foi encontrada, mas os deputados aparecem com os mesmos ternos e gravatas em uma série de imagens registradas pela Agência Câmara em 2 de fevereiro de 2011. Naquele dia, foi celebrado o 1º Culto Evangélico da 54ª Legislatura. A foto também já circulava na rede naquele ano e foi usada em um post do PSOL de Rio das Ostras.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo