Tem certeza que deseja sair da sua conta?

São Luís: Duarte Júnior erra informação sobre fiscalização de postos de combustíveis

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
11.nov.2020 | 10h00 |

O candidato à prefeitura de São Luís Duarte Júnior (Republicanos) ocupa a segunda posição na pesquisa de intenção de voto divulgada pelo Ibope em 23 de outubro. Ao longo das últimas semanas, o deputado estadual tem participado de entrevistas e debates promovidos pela imprensa local. Em colaboração com o projeto Sem Migué, a Lupa analisou algumas de suas falas. A checagem faz parte do projeto Democracia Digital, no qual jornalistas de todas as capitais do Brasil verificam discursos dos quatro candidatos melhores colocados nas pesquisas de intenção de voto em 2020.

Eduardo Braide (Podemos) — primeiro em intenções de voto na mesma pesquisa — também teve falas analisadas, e o resultado dessa verificação será publicado no dia 13 de novembro. Rubens Júnior (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM), quarto e terceiro colocados na disputa, tiveram falas checadas e publicadas em 3 e 5 de novembro.

Confira o grau de veracidade do que disse Duarte Júnior:

Como presidente do Procon, fiscalizamos setores que nunca foram fiscalizados: postos de combustíveis, cartel do combustível”
Duarte Júnior (Republicanos), candidato a prefeito de São Luís, em debate do jornal O Estado em parceria com o portal Imirante no dia 20 de outubro

FALSO

Duarte foi presidente do Procon-MA de 2015 a 2018. Há registros de notificações feitas ainda em 2011, quando o órgão era vinculado à Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Cidadania.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou que fiscaliza o mercado de combustíveis no Maranhão desde sua criação, em 1998. Segundo dados enviados pela ANP, somente de 1999 a 2014, houve 5.615 ações de fiscalização no estado ― algumas delas em parceria com o Procon.

Em 2014, a Assembleia Legislativa do Maranhão criou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Combustível, que apontou indícios de formação de cartel em São Luís. As investigações culminaram, em 2017, na condenação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) de seis pessoas físicas, 11 postos de revendedores de combustíveis e do Sindicato dos Revendedores de Combustível do Estado do Maranhão (Sindicomb-MA).

Procurado, o candidato não se manifestou sobre o assunto.


“Toda minha verba de gabinete é usada inclusive para prestação de contas [sobre recebimento de verbas indenizatórias nos meses em que os trabalhos presenciais na Alema estavam suspensos]”
Duarte Júnior (Republicanos), candidato a prefeito de São Luís, em debate do jornal O Estado em parceria com o portal Imirante no dia 20 de outubro

VERDADEIRO, MAS

De março a junho, a Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema) estava com os trabalhos presenciais suspensos devido à pandemia de Covid-19. Nesse período, o candidato gastou R$ 163.275,58 de cota parlamentar, de acordo com dados do portal da transparência da Alema. Desse valor, R$ 71,6 mil foram usados para contratação de assessorias, consultorias e trabalhos técnicos. Um total de R$ 47,35 mil foram gastos com divulgação da atividade parlamentar. As verbas indenizatórias dos deputados são identificadas como despesas com cotas para exercício da atividade parlamentar, com uma descrição do gasto e o valor correspondente ― sem informação sobre fornecedores e datas de compra, por exemplo.


“Infelizmente, hoje falta água encanada nas escolas públicas de São Luís. 24% das escolas públicas não têm água encanada”
Duarte Júnior (Republicanos), candidato a prefeito de São Luís, em debate do jornal O Estado em parceria com o portal Imirante no dia 20 de outubro

SUBESTIMADO

De acordo com os microdados do Censo Escolar 2019, 36% das escolas públicas de São Luís não têm água encanada. 32% utilizam poço artesiano como principal fonte de abastecimento.

Das 196 escolas municipais consideradas na pesquisa, há uma que não possui nenhum tipo de abastecimento ― a Unidade de Educação Básica (UEB) Criança Feliz. Também há uma unidade que utiliza apenas cacimba, cisterna ou poço ― a UEB Professora Silvia Stella Fonseca Furtado. Cinco escolas não apresentam dados sobre abastecimento de água.

Procurado, o candidato não se manifestou.

Nota da redação: O projeto Democracia Digital é uma iniciativa da Lupa, do Instituto de Tecnologia & Equidade (IT&E) e do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, com apoio do WhatsApp e dos Tribunais Regionais Eleitorais de todo o Brasil. As checagens produzidas são distribuídas gratuitamente a rádios universitárias do país, com apoio do Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP).

Editado por: Marcela Duarte

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo