A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que urna em Macaé (RJ) não registrou voto em candidato a vereador

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
18.nov.2020 | 19h21 |

Circula nas redes sociais uma informação de uma suposta fraude em uma urna eletrônica da cidade de Macaé (RJ). Um eleitor registrou um Boletim de Ocorrência afirmando que, ao digitar o número do candidato a vereador, os dados e a foto correspondente não apareceram. Além disso, a votação teria finalizado sem permitir o voto no prefeito. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“CIDADÃO MACAENSE REGISTRA B.O. NA POLÍCIA FEDERAL DE POSSÍVEL FRAUDE EM URNA. Nesta terça-feira (17) um cidadão foi até a Polícia Federal e registrou uma possível fraude nas eleições em Macaé de 2020. O cidadão conta no B.O. no dia 15/11/2020 por volta 11 horas da manhã foi até a escola Almir Francisco Lapa, localizado no Parque Aeroporto (atrás do Brisolão) afim de votar na seção 0197, da 0254ª zona. Ao chegar neste local se identificou devidamente, e fora até a cabine de votação. Após digitar a numeração 28321, a máquina não mostrou os dados, nem a foto do correspondente candidato a vereador, e logo em seguida finalizou a votação, o impedido a votar para prefeito e não demonstrando que o voto teria ido para o candidato a vereador dele. Ao questionar a mesária a respeito do ocorrido, esta lhe teria dito que estaria tudo correto”
Legenda de imagem publicada em post do Facebook que, até as 15h de 18 de novembro de 2020, tinha mais de 60 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), não há qualquer indício de fraude no caso relatado. Na verdade o que ocorreu foi uma demora em mostrar a foto e os dados do candidato, mas o voto foi registrado. Tampouco a urna finalizou a votação antes de ser digitado o número correspondente ao prefeito.

De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação do TRE-RJ, André Sant’Anna, esse tipo de problema pode acontecer, dependendo do modelo da urna eletrônica e do tamanho e qualidade do arquivo da foto. Segundo o TRE-RJ, a versão usada na seção era de 2013. A vida útil de uma urna é de 10 anos. “A demora em mostrar a foto do candidato ocorre em urnas com processadores mais lentos, como é usual em qualquer computador na mesma situação”, explicou Sant’Anna.

Uma outra informação é de que o eleitor não fez qualquer tipo de reclamação ou de abordagem na hora do voto, segundo os mesários da seção. Nas atas de registro da 197ª seção eleitoral, enviadas pela assessoria do TRE-RJ, não constam qualquer tipo de irregularidade ocorrida (confira os documentos aqui e aqui). A ata da seção eleitoral é um documento público e está disponível para consulta no cartório eleitoral. No boletim de urna da seção 197, divulgado na internet pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), há indicação de um voto confirmado no candidato citado no Boletim de Ocorrência pelo eleitor.

Ainda segundo o TRE, houve apenas uma queixa na 206ª seção eleitoral. “O eleitor confirmou os votos e finalizou a votação, como registrou o terminal do mesário, que já pedia novo número de título para habilitar a urna. Mas ele veio reclamar, em seguida, que o número e a foto do candidato não apareceu”, relatou a admistradora do local de votação. “Fizemos as explicações devidas e ele se disse satisfeito”. As atas podem ser conferidas aqui e aqui.

Ao TRE-RJ, a Polícia Federal confirmou a autencidade do Boletim de Ocorrência, que será encaminhada ao Juízo da 254ª Zona Eleitoral.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo