A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Télam
Foto: Télam

#Verificação: É falso que Argentina comprou fornos para cremar mortos pela ‘vacina chinesa’

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
25.nov.2020 | 18h49 |

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra fornos de dimensões industriais supostamente comprados pelo governo argentino para cremar pacientes mortos pela “vacina chinesa”. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Fornos crematórios chegados da China na Argentina! Na calada da noite!”

Trecho de mensagem que acompanha vídeo compartilhado no WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. As máquinas apresentadas no vídeo não são fornos crematórios, mas fornos de biomassa. Aos 30 segundos do vídeo aparece o nome do fabricante do equipamento, a Apisa, empresa espanhola especializada em produtos para agricultura. No site da companhia, um dos produtos anunciados é feito para desidratar forragem. Nesta foto é possível notar a semelhança com o maquinário apresentado no vídeo.

A Apisa informou, por meio de nota, que não fabrica fornos crematórios e que o vídeo em questão foi gravado no porto de Tarragona, na Catalunha, Espanha, quando o maquinário estava sendo despachado para a Romênia. A Lupa também perguntou se os equipamentos são produzidos na China e se foram vendidos para a Argentina. A empresa respondeu que não tem fábrica em território chinês e que a última venda realizada para a Argentina foi há alguns anos, quando venderam duas câmaras de combustão com queimador de gás para uma planta de desidratação de alfafa. 

Em publicação no Twitter, a Autoridade Portuária de Tarragona confirmou que as imagens mostravam equipamentos de secagem de forragem e repudiou que o vídeo esteja sendo usado para espalhar desinformação. “[Os equipamentos] Não têm nada a ver com o que está insinuado nesse tuíte que, além de ser totalmente impreciso, consideramos de mau gosto”, respondeu a um tuíte que compartilhava o boato.

“Lá a vacina será a coronavac! Chegaram em todos os estados do país!”
Trecho de mensagem que acompanha vídeo compartilhado no WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A vacina que está sendo testada na Argentina não é a CoronaVac. Conforme já apurado pela Lupa, o imunizante pesquisado no país também é de origem chinesa, mas é desenvolvido por outros laboratórios, o Beijing Institute of Biological Products e a China National Biotec Group Company Limited. A CoronaVac está em testes no Brasil, na Turquia e na Indonésia. Tampouco há registros de que o governo argentino já tenha comprado lotes da CoronaVac. 

O site argentino Chequeado, o espanhol Maldita e a AFP Factual checaram publicações semelhantes. No Brasil, o Boatos.org também verificou as informações. 

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes e Marcela Duarte

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo