A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#CaiuNaRede: É verdade que ninguém pode ser obrigado a fazer intervenção cirúrgica

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.dez.2020 | 14h00 |

Circula nas redes sociais uma imagem com um texto supostamente tirado do artigo 15 do Código Civil Brasileiro. O trecho afirma que “ninguém pode ser constrangido a submeter-se, com risco de vida, a tratamento médico ou a intervenção cirúrgica”. A publicação teria sido feito pela deputada federal Bia Kicis. O conteúdo foi verificado no Caiu na rede: é fake?. Confira:

“Ninguém pode ser constrangido a submeter-se, com risco de vida, a tratamento médico ou a intervenção cirúrgica
Trecho de post no Instagram que, até as 12h do dia 3 de dezembro de 2020, tinha mais de 33 mil curtidas

VERDADEIRO

A informação é verdadeira. A publicação, feita pela deputada federal Bia Kicis em seu perfil no Instagram em outubro, traz um trecho do Capítulo II do Código Civil Brasileiro. No artigo 15 diz: “ninguém pode ser constrangido a submeter-se, com risco de vida, a tratamento médico ou a intervenção cirúrgica”.

Nota da redação: o projeto Caiu na rede: é fake? é uma parceria da Agência Lupa com Voz das Comunidades, Favela em Pauta e Maré de Notícias e conta com o apoio da Fundação Heinrich Böll Brasil. 

Editado por: Marcela Duarte

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo