A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que todos os ex-presidentes recusaram convite de Doria para tomar a vacina contra Covid-19

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
22.dez.2020 | 20h09 |

Circula nas redes sociais que todos os ex-presidentes do Brasil recusaram o convite feito pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para tomarem a vacina da CoronaVac contra a Covid-19. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Doria convidou todos os ex-presidentes para tomar a vachina, nenhum aceitou. Tirem suas conclusões”
Legenda de imagem publicada em post do Facebook que, até as 15h de 22 de dezembro de 2020, tinha mais de 160 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. De todos os ex-presidentes vivos, o único que recusou o convite oficialmente foi Fernando Collor de Mello (PROS). Em nota, a assessoria do governo do Estado de São Paulo afirmou que os ex-presidentes José Sarney (MDB), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB) confirmaram que vão tomar a vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. O texto explica ainda que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) tomará a vacina quando estiver disponível em Porto Alegre (RS), onde reside, ou caso seja enviada de São Paulo para o seu domicílio. A assessoria de Luiz Inácio Lula da Silva afirmou por e-mail que o ex-presidente viajará a Cuba, mas que, caso esteja disponível, tomará o imunizante.

Pelo Twitter, o ex-presidente Fernando Collor foi o único a formalizar que não participará do ato. “Sobre a notícia publicada pelos veículos de comunicação nesta sexta-feira(18), informo a todos. Agradeço ao convite feito pelo governo de São Paulo, mas não participarei”.

A assessoria de imprensa do ex-presidente Michel Temer confirmou por WhatsApp a informação repassada pelo governo do Estado, de que participará do ato solene da vacina da Covid-19. Não houve resposta das assessorias de Fernando Henrique Cardoso e José Sarney.

À coluna do jornalista Leonardo Sakamoto, do UOL, e confirmada à Lupa por WhatsApp, a assessoria de Dilma Rousseff afirmou que, como a ex-presidente mora em Porto Alegre, não pretende ir a São Paulo tomar a vacina. “Mas se o governador João Doria enviar a vacina, ela tomará a dose com imensa satisfação”. Ao UOL, a assessoria de FHC confirmou que o ex-presidente foi consultado e que tomará a CoronaVac, caso ocorra a certificação e o imunizante esteja disponível.

O convite do governador João Doria aos ex-presidentes do Brasil, todos dentro do público alvo do Programa Estadual de Vacinação (PEI), é para marcar um ato para reforçar a importância da vacina, “independente de corrente partidária, ideológica ou religião”, diz a nota enviada pelo governo de São Paulo. O objetivo da gestão estadual é começar a vacinação dia 25 de janeiro, com prioridade para profissionais de saúde, pessoas com 60 anos ou mais e grupos indígenas e quilombolas na primeira etapa.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo