A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que mais pessoas morreram em decorrência da Aids do que de Covid-19 em 2020

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
11.jan.2021 | 20h04 |

Circula pelas redes sociais uma lista que compara o número de mortes por diferentes causas em todo o mundo em 2020. Segundo a publicação, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado, houve mais abortos do que mortos pelo novo coronavírus. Aids e câncer separadamente também mataram mais do que a Covid-19. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Mortes em todo o mundo entre 01/01/2020 e 31/12/2020

Abortos …. 42.652.318
HIV / AIDS 42.371.649
Câncer …. 8.226.779
Malária …. 395.006
Fumo …. 5.007.485
Álcool …. 2.505.326
Suicídios …. 1.074.164
Tráfegos …. 1.352.186
Coronavírus …. 1.810.360
Fontes: Worldmeters e Google

Nem sempre as mortes serão causadas por um vírus, tem coisas piores matando a população.”

Publicação no Facebook que, até as 13h30 do dia 11 de janeiro de 2021, tinha sido compartilhada por 273 pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Os dados listados na publicação não correspondem às estatísticas mais recentes sobre algumas das causas de morte em todo o mundo ― por vezes os dados são inflados; em outras, minimizados.

Não é verdade que mais pessoas morreram em decorrência de Aids do que do novo coronavírus em 2020. Segundo a Unaids, programa das Nações Unidas para ajudar nações no combate à Aids, a estimativa é que 690 mil pessoas tenham morrido em decorrência da doença em 2019. Os dados de 2020 ainda não estão disponíveis, mas seguem a tendência de diminuição da mortalidade relacionada ao vírus HIV desde 2010. O número do post (42.371.649) é muito maior do que o estimado. Já as mortes causadas pelo novo coronavírus entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2020 somaram 1.799.610 pessoas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), número 2,6 vezes maior do que as mortes por aids em 2019.

A publicação usa como referência os dados disponibilizados pelo Worldometers, site que oferece estatísticas em tempo real sobre tópicos diversos, inclusive doenças. Para alguns casos, a plataforma faz um cálculo a partir de dados disponibilizados por entidades como a OMS e apresenta, portanto, dados aproximados e estimados, mas não reais. É o caso do número de mortes por suicídio. Conforme estudo global feito pela OMS sobre as principais causas de morte entre os anos 2000 e 2020 em todo o mundo, cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida a cada ano – quase 200 mil a menos do que o citado na publicação e 1 milhão a menos do que as mortes pelo novo coronavírus.

No caso da malária, o número apresentado pelo post é próximo do real. Enquanto a publicação menciona 395.006, o Relatório Mundial da Malária 2020, da OMS — com dados de 2019 —, indicou que 409 mil pessoas morreram em razão da doença.

As mortes causadas por câncer também não conferem com o número da lista. Segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, da OMS, 10 milhões de pessoas morreram em razão de câncer, quase 1,8 milhão a mais do que diz o post. O número de mortes por câncer é 5,5 vezes maior do que por Covid-19 em 2020.

Em relação a aborto, o número apresentado pelo post (42.652.318) não confere com pesquisas recentes sobre o tema. O estudo “Gravidez indesejada e aborto por renda, região e a situação legal do aborto: estimativas de um modelo abrangente para 1990–2019”, divulgado em julho de 2020 pela publicação científica The Lancet, estima que entre 2015 e 2019 foram realizados 73,6 milhões de abortos por ano em todo mundo, ou seja, quase duas vezes mais que o indicado. Já o número de mulheres mortas em decorrência de abortos mal feitos ou ilegais chega a 193 mil, segundo estudo publicado na mesma revista em 2014. 

Em relação a mortes em decorrência do tabagismo, o número citado no post está subestimado. A OMS estima que cerca de 8 milhões de mortes em todo o mundo ocorrem como resultado do consumo de tabaco. O álcool está relacionado a 3 milhões de mortes anuais em todo mundo e os óbitos causados por acidentes de trânsito são estimados pela OMS em 1,35 milhão de pessoas a cada ano.

Nota: ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés e Marcela Duarte

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo